Título: Delírios de Consumo de Becky Bloom
Autor(a): Sophie Kinsella
Editora: Record
Número de páginas: 428
Classificação: 3/5

Sou uma grande fã do filme "Delírios de Consumo de Becky Bloom", dirigido por  P.J. Hogan, e estrelado por Isla Fisher, Hugh Dancy e Krysten Ritter. Sendo assim, estava curiosa e com uma enorme vontade de ler o livro que tinha dado origem a esse filme que eu tanto adoro.
"'Rebecca sou eu. São minhas irmãs. São todas as minhas amigas que já saíram para comprar um chocolate e voltaram para casa com um par de botas. Rebecca é todas as mulheres (e homens) que já se viram parados diante de uma vitrine e souberam, com certeza absoluta, que precisavam comprar aquele casaco e... ai, meu Deus, calças que combinassem com ele!' - Sophie Kinsella
Os Delírios de Consumo de Becky Bloom é o primeiro romance da inglesa Sophie Kinsella. É a história de uma jornalista financeira que durante o dia, ensina às pessoas como administrar seu dinheiro e no fim-de-semana, transforma-se em uma consumidora compulsiva, fugindo do gerente do seu banco e com muitas dívidas. Rebecca Bloom não resiste uma liquidação! Quanto mais inútil, melhor! Para ela, o mundo todo enxerga os detalhes da alça de seu sutiã, combinando com as cores de seus sapatos. Mas seu salário nunca é suficiente para pagar suas extravagâncias. Endividada até a alma, Rebecca, ou Becky, vive fugindo do seu gerente de banco e procurando fórmulas mirabolantes para pagar a fatura do cartão de crédito. Os Delírios de Consumo de Becky Bloom é um pouco da história de todas as pessoas para as quais comprar é quase uma terapia, a resposta para todos os problemas, mesmo criando outros piores ainda. Entre eles, inventar a próxima desculpa para o gerente do banco: - "Meu pé quebrou! Você não recebeu meu cheque? Meu cachorro morreu!", são alguns dos argumentos usados por Becky para enrolar seu gerente Derek Smeath. Mas a personagem de Sophie Kinsella não é apenas uma ´´material girl´´ que só pensa em dinheiro e futilidades. Rebecca é sensível, carinhosa e extremamente otimista. Com essas qualidades, ela vai fazer de tudo para resolver seu problema. Primeiro, tenta reduzir seus gastos a zero, o que logicamente, não funciona. Diante disso, ela resolve que precisa ganhar mais dinheiro, mesmo sabendo que seu emprego está ameaçado. Nos delírios de consumo de Becky, todos os seus problemas se resolveriam de imediato ao ganhar na loteria, ou se um completo estranho pagasse sua conta do Visa - por engano, claro. Como se não bastasse, em meio a tanta confusão, Becky ainda arruma tempo para se apaixonar pelo sedutor - e expert em finanças - Luke Brandon. Os Delírios de Consumo de Becky Bloom é um divertido romance, que retrata com perfeição grande parte das mulheres que conhecemos."  
Rebecca Bloom (ou Becky) é uma jornalista financeira, que também é uma compradora compulsiva. Ao mesmo tempo em que ela tenta ajudar as pessoas a administrar o seu dinheiro, ela também não consegue resistir às liquidações— fazer compras é o que lhe deixa feliz, é como uma forma de satisfação. Por conta de não saber controlar seus gastos, Becky está cheia de problemas e dívidas, e como se isso não bastasse ela ainda vive fugindo do gerente de seu banco, Derek Smeath, e da assistente dele, Erica Parnell.

São tantas desculpas que ela inventa— uma gripe forte, uma perna quebrada, a morte de seu cachorro... O que não falta é criatividade para inventar as justificativas. Enquanto isso, Becky se vê diante de suas situações: C.G. (cortar gastos) ou G.M.D. (ganhar mais dinheiro). Ela até que tenta seguir a risca o primeiro plano, mas está claro que para essa consumidora nata cortar os gastos é muito mais difícil do que imaginava, então fica claro que ela tem de partir para a segunda alternativa. Porém, como ela vai fazer para ganhar mais dinheiro?
"Não acredito. Ela me despediu. Nem cheguei a trabalhar lá um dia inteiro e já fui mandada embora. Fiquei tão chocada quando ela me contou que, juro, quase fiquei com os olhos cheios de lágrimas. Quero dizer, fora o incidente com os jeans de estampa de zebra, eu achei que estava indo muito bem."
1) Apostar na loteria?
2) Se casar com algum milionário?
3) Investir em projetos profissionais?
4) Fugir para a casa de seus pais? Afinal de contas quem precisa pagar as inúmeras dívidas?

E como se toda essa confusão em sua vida já não fosse o suficiente, Becky também se mete em algumas trapalhadas envolvendo Luke Brandon, que trabalha na Brandon Communications e um dos empresários mais inteligentes de sua geração. Além de ele possuir certo ar de arrogância, também parece saber exatamente que Becky não passa de uma fraude já que ela não entende muito de finanças.
"Mas hoje o dia é para as compras de Luke, não minhas. E, estranhamente, é quase mais divertido escolher para outra pessoa do que para si mesmo."
Assim como existe em toda adaptação literária para o cinema existem certas diferenças entre o livro e o filme, e "Delírios de Consumo de Becky Bloom" não escapa dessa regra. Porém, apesar disso acabei me divertindo horrores durante a leitura, da mesma maneira que me diverti quando assisti ao filme. É impossível não rir com as confusões em que Becky acaba se metendo.


Deixe um comentário