Resenha: Put Some Farofa

Título: Put Some Farofa
Autor(a): Gregorio Duvivier
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 208
Classificação: 5/5
Antes desse livro o conhecimento que eu tinha sobre o Gregorio Duvivier podia ser considerado um tanto escasso, sabia que ele atuava em alguns vídeos do canal humorístico "Porta dos Fundos" e também trabalhava como roteirista de alguns esquetes, e também sabia que ele escrevia para a Folha de São Paulo. E isso era o que eu sabia sobre ele, informações muito básicas que depois se aprofundaram um pouco mais de eu comprar o livro "Put Some Farofa". Foi em uma feira de livros que ocorreu no meu colégio no inicio do ano e automaticamente me interessei por o livro, não sei dizer se foi a capa dele ou o título que me chamou bastante atenção, mas o que importa no final é que eu acebei o comprando mesmo sendo diferente dos demais livros que eu estou acostumada a ler. Às vezes simplesmente é bom sair um pouco de sua zona de conforto e experimentar coisas novas, e no caso de "Put Some Farofa" esse acabou sendo uma experiência muito positiva ao ponto de que o livro entrou para a minha lista dos favoritos.
"Put some farofa - Dont repair the mess. The house is yours. I make question. Pardon anything. Go with god. Come back always. Publicada em Julho de 2014, a crônica que dá título a este volume, que cria uma conversa imaginária de um brasileiro com um gringo visitando o Brasil durante a copa, rapidamente se tornou um viral de internet, até ser comentada em artigo do Washington Post.
Trata-se de uma amostra da verve humorística embebida de zeitgeist, crítica ferina e muito afeto de Gregorio Duvivier, um dos autores mais promissores do Brasil na atualidade. Reunindo o melhor de sua produção ficcional, Put some farofa traz textos publicados na Folha de S.Paulo e esquetes escritos para o canal Porta dos Fundos, além de alguns inéditos.
Se Gregorio traz o raro dom da multiplicidade, tendo se destacado no cenário cultural brasileiro ao mesmo tempo como ator, roteirista, comediante, cronista e poeta, também múltiplo é este volume, que transita entre ficções, memórias de infância, ensaios sobre artistas que o influenciaram, artigos panfletários, exercícios de linguagem e outras experimentações. Os textos vão da pauta que está sendo debatida naquele dia no jornal ao completo nonsense; do amor ao ódio, do íntimo ao universal.
No conjunto, o que espanta no autor é o frescor, a coragem, a visão transformadora e, sobretudo, a capacidade inesgotável de se renovar a cada semana, contando sempre com a inteligência e a sensibilidade do leitor."
O livro "Put Some Farofa" é uma coletânea de textos escritos por Duvivier, alguns de sua coluna da Folha de São Paulo e outros que são os roteiros dos esquetes que ele já produziu para o "Porta dos Fundos". O livro se divide em quatro partes, e cada uma delas tendo assuntos bem variados.
1) GRANDES, PEQUENOS GIGANTESCOS
2) CRUZADAS ELUCIDATIVAS A FAVOR DA FAMÍLIA BRASILEIRA
3) PUT SOME FAROFA
4) O MUNDO, PARADINHO, TEM A MAIOR GRAÇA
Ao longo da obra o leitor se depara com crônicas bem humorísticas, outras politizadas, algumas que se aproximam muito o nonsense. E enquanto algumas são carregadas de críticas e reflexões, outras á são mais voltadas para o lado sentimental e emotivo. Contudo, independente de qual seja o assunto abordado na crônica é notável a grande sensibilidade que Gregorio tem do mundo ao seu redor, sem contar que é incrível como ele consegue pegar alguns temas tão corriqueiros e, às vezes, sem importância e os transforma em incríveis textos.
“O que entendi é que é melhor desistir de entender. O roteirista da vida é preguiçosíssimo. Personagens queridos somem do nada. Personagens chatíssimos duram pra sempre. Tem episódios inteiros de pura encheção de linguiça e, de repente, tudo o que deveria ter acontecido numa temporada inteira acontece num dia só. As coincidências não são críveis – e numerosas demais. A vida é inverossímil.”
No mundo existem pessoas que escrevem e que escrevem. É muito fácil pegar um lápis ou uma caneta e sair escrevendo palavras aleatórias em um papel em branco, ou frases desconexas. Qualquer pessoa que foi alfabetizada tem a capacidade de fazer isso. Contudo, são poucas as pessoas que ao escreverem conseguem tocar a alma dos outros com suas palavras e foi isso o que eu senti lendo "Put Some Farofa". Por mais clichê que soe eu admito que o livro foi como uma luz na minha cabeça já que eu estava em dúvida do que fazer para o vestibular, e de uma forma um pouco estranha e única para mim o Gregorio Duvivier através dessa obra teve um caráter definitivo na minha escolha.

Esse é um livro que eu recomendo para todas as pessoas por se tratar de uma leitura bem rápida, e gostosa já que o leitor sente prazer e se diverte lendo as crônicas (pelo menos foi isso o que eu senti). Sem um pingo de dúvidas esse é um ótimo passa tempo para quem está em busca de algo dinâmico e sem compromissos por não se tratar de alguma série em que você vive esperando pelo lançamento do próximo livro. Acho que é humanamente impossível eu conseguir encontrar as palavras exatas para definir o quanto eu gostei de "Put Some Farofa", além é claro do significado que ele passou a ter para mim, mas como o 9th Doctor (Christopher Eccleston) costumava a dizer: FANTASTIC!

E aqui estão as 16 crônicas que eu mais gostei:
1) Mas antes,
2) Grande-amor-da-vida
3) Meus pais
4) A coluna inútil daquele maconheiro
5) A família brasileira
6) Xingamento
7) Orgulho hétero
8) Péssimo mau gosto
9) Acabou a baderna
10) O país e o armário
11) Horóscopo
12) Se eu morresse...
13) O homem de 2003
14) Túnel do Tempo
15) Lucky bastards
16) Spoiler

Se você já leu esse livro ou tem interesse em ler deixe sua opinião nos comentários! E para os fãs de crônica ,esse é um livro essencial de se ter na estante da sua casa!
  • Share

Diga NÃO Ao SeaWorld

Antes de começar o texto de fato, apenas gostaria de deixar claro que a minha motivação para escrevê-lo foi o documentário "Blackfish", que está disponível no Netflix. Esse filme não apenas me marcou profundamente ao ponto de mudar a minha opinião a respeito do SeaWorld, também fez com que eu tivesse vontade de alertar para mais pessoas sobre a verdade por trás desse parque e muitos outros semelhante que mantém os animais em cativeiros que não chega ser 10% igual as condições de seu habitat natural, em situações que os expõe ao stress e que diminuem a sua expectativa de vida (isso mesmo, você leu certo! Normalmente as baleias tendem a viver mais na natureza do que em parques como o SeaWorld) e tudo isso devido interesses capitalistas. E com esse texto eu espero conseguir cumprir o meu objetivo de conscientizar algumas pessoas a respeito desse assunto.
Imagem do We Heart It. Texto baseado na história de vida e dedicado ao Tilikum.
Antes mesmo de nascer o seu destino já estava traçado. Antes mesmo de você nascer algumas pessoas já tinham o interesse em por as mãos em você, e do seu habitat natural o afastar; o tirar de perto das nadadeiras de sua mãe e a proteção de sua família. Antes mesmo de você nascer a caça   já existia, mas apenas acabou se intensificando por motivos exclusivamente capitalistas. Antes de você nascer existia a liberdade para os outros de sua espécie, todos podiam nadar livremente de um lado para o outro nas águas dos oceanos gozando de um privilégio que já não existe mais, agora os que restam precisam fugir por milhares e milhares de quilômetros apenas para terem uma chance de sobrevivência.

Você era apenas um filhote quando o sequestraram de uma maneira brutal sem demonstrar nenhum tipo de arrependimento aparentemente, enquanto os seus semelhantes permaneceram por perto apenas observando a situação com um olhar desolado, o coração partido e emitindo sons que nem mesmo os mais modernos aparelhos tecnológicos são capazes de distinguir, pois não existe nenhuma tradução para o sentimento de saudade. O dia em que você partiu ficou conhecido como uma data obscura, e que mudou completamente a sua vida. Esse é o seu destino, a sua sina. Aceite isso. "É para o seu bem", "você vai levar uma vida bem melhor do que costumava a ter", é o que te dizem para tentar te convencer da verdade, mas tudo não passa de um bando de mentiras.

Te introduzem em um lugar estranho e mesmo tendo outros membros de sua espécie as coisas não são as mesmas de onde você veio, nesse seu novo lar você apanha, passa fone e no final do dia é trancafiado em um lugar minúsculo, como se fosse uma banheira em comparação ao vasto oceano que você tinha para explorar. Essa vida que você leva não é digna, mas são poucos que conseguem enxergar essa verdade camuflada através de truques que deixam boquiabertos a todos que assistem aos shows. Eles não estão criando um animal obediente e inteligente, mas, na verdade, aos poucos estão criando uma bomba relógio que pode explodir a qualquer momento.

Tic tac... tic tac...Faz a bomba relógio que ameaça explodir dentro de você. Uma vida inocente será perdida e você será apontado por todos como o grande culpado, sendo que, na verdade, é apenas a maior das vítimas nessa tragédia envolvida. Foi você que teve sua liberdade arrancada, sofreu encarcerado, apanhou e passou fome. Os verdadeiros culpados disso são as pessoas que o capturaram e o colocaram para trabalhar como um escravo.

Novamente você vai mudar de lugar, mas nada que equivale a vastidão de seu primeiro lar: os mares e oceanos. Você não vai passar mais fome e vai fazer alguns amigos, contudo ainda assim vai continuar a apanhar e não vai ter lugar para onde se refugiar. Dessa vez vão abusar de você e vão quebrar as leis para garantir a reprodução, e os seus filhos também vão sofrer como você sofreu. É o seu destino, a sua sina. Aceite isso.

Tic tac... tic tac... Faz a bomba relógio que explodiu por uma segunda vez dentro de você. Novamente você está fazendo jus ao apelido "baleia assassina, e assim como da primeira vez, essa morte não foi sua culpa; não foi a sua intensão. Novamente eles te pressionaram até o fim, e o que começou como uma brincadeira em algum momento passou a ter um caráter agressivo.

Agora você não trabalha mais, seus movimentos são poucos já que você está passando os seus dias em confinamento apenas realizando as funções básicas para a sua sobrevivência, ou nem mesmo isso. A vida que você leva agora é depressiva, a tristeza contagiosa.

Aceite isso.
Aceite iss...
Aceite is...
Aceit...
Ace...
Não aceite porra nenhuma disso! Talvez você já tenha cansado de lutar por uma vida melhor e digna, mas várias pessoas de fora ainda não desistiram dessa batalha. Até o momento 84% dos lucros do SeaWorld já diminuíram, e tendência é diminuir cada vez mais e mais. Deus escreve certo por linhas tortas, então não perca a esperança, pois eu acredito que você vai ter uma vida melhor. Acredito que um dia você vai ser livre. Acredito que você vai voltar a ser feliz novamente.
  • Share

A Felicidade Encontrada nos Clichês

Imagem do We Heart It
As nuvens que cobrem o céu estão cinza, carregadas como se fosse chover a qualquer momento. O vento gélido faz com que as pessoas tentem se aquecer usando casacos e botas, roupas bem mais elegantes do que se costuma a usar durante alguns dias de verão.

E junto desse tempo frio e nublado o humor de algumas pessoas também parecem mudar, só que para pior, no caso. Isso pode soar como se fosse loucura, mas é apenas uma impressão que eu tive ao observar as pessoas caminhando na rua: cara fechada; sobrancelhas serradas; punhos fechados fortemente, além da tendência de ficar bravo com qualquer coisa ou de ofender alguém. Talvez esse mau humor não tenha nenhum tipo de relação com o tempo, à vida é composta por momentos de altos e baixos e provavelmente eu tenha cruzado com uma pessoa que não estava tendo um dia muito bom.

Mas, independente de qual seja o motivo desse mau humor eu acredito que o clima de tristeza que os dias frios trazem é algo contagioso, querendo ou não, nesses dias fico com vontade apenas de ficar deitada na cama esperando o tempo passar, além do sentimento de nostalgia que me domina, e a sensação de que algo está faltando na minha vida.

Esses dias realmente parecem ser bem depressivos e, às vezes, acabam sendo. Porém, basta apenas um sorriso sincero ou palavras gentis para alterar esse quadro de tristeza e negatividade. Esses pequenos momentos, apesar de parecerem ser insignificante para algumas pessoas e clichê para outros, acabam aquecendo a minha alma como se fossem verdadeiros raios de sol. Instantaneamente eu começo a me sentir bem melhor, passo a sorrir mais e me sinto mais feliz. Apesar de toda negatividade e violência existentes no mundo basta apenas um sorriso amigável, ou um "Obrigado" vindo até mesmo de um estranho melhoram tudo.

E na minha vida existem algumas pessoas que são responsáveis por melhorarem o meu dia, então o que me resta fazer é agradecer. Obrigada pelas palavras gentis. Obrigada pelo apoio. Obrigada por me incentivar. Obrigada pelos abraços apertados. Obrigada pelos sorrisos sinceros e divertidos. Obrigada pelas risadas. Obrigada por existirem. Obrigada por tornar os meus dias melhores. Obrigada pelas coisas boas que vocês já fizeram no passado e pelo o que vão fazer no futuro. Obrigada por fazerem a diferença na minha vida, mesmo que não tenham ideia de quão importante são para mim. Obrigada por tudo.

  • Share

Musicais que eu amo

Antes de tudo eu gostaria de pedir pela minha ausência aqui no blog, nesses últimos dias eu passei pela minha semana de provas e precisei focar nos estudos deixando aqui um pouco de lado, mas como esse período corrido já passou eu estou pronta para voltar à ativa aqui na Escritora Whovian, ou pelo menos tentar, já que tenho alguns compromissos importantes durante o mês de setembro e outubro.

E para comemorar a minha volta aqui no blog eu resolvi falar de um tema que eu adoro: musicais! Sim, como eu já deixei claro na resenha sobre o filme "Across The Universe", eu adoro ver musicais e pensando nisso resolvi falar um pouco dos meus três preferidos.

MAMMA MIA!
"1999, na ilha grega de Kalokairi. Sophie (Amanda Seyfried) está prestes a se casar e, sem saber quem é seu pai, envia convites para Sam Carmichael (Pierce Brosnan), Harry Bright (Colin Firth) e Bill Anderson (Stellan Skarsgard). Eles vêm de diferentes partes do mundo, dispostos a reencontrar a mulher de suas vidas: Donna (Meryl Streep), mãe de Sophie. Ao chegarem Donna é surpreendida, tendo que inventar desculpas para não revelar quem é o pai de Sophie."
Praticamente todo mundo já deve ter ouvido falar nesse musical que contém as músicas da banda ABBA, e foi graças a esse filme que eu acabei me tornando uma grande fã de musicais. Descobri ele através de um trabalho de escola, em que a minha amiga Laura (dona do blog Nostalgia Cinza) fez uma apresentação sobre o filme junto do grupo dela. Depois desse dia eu resolvi procurar um pouco mais sobre esse filme e acabei me apaixonando pela história, tanto é que também assisti ao musical quando viajei para New York, em 2012.
E a trilha sonora é completamente viciante, tanto é que eu mal consigo escolher qual das minhas músicas é a minha preferida.

SWEENEY TODD
"Benjamin Barker (Johnny Depp) passou 15 anos afastado de Londres, após ser obrigado a deixar sua esposa e sua filha. Ele retorna à cidade ávido por vingança, agora usando a alcunha de Sweeney Todd. Logo ele decide ir à sua antiga barbearia, agora transformada em uma loja de fachada para vender as tortas feitas pela sra. Lovett (Helena Bonham Carter). Com o apoio dela Todd volta a trabalhar como barbeiro, numa sala acima da loja. Porém o grande objetivo de Todd é se vingar do juiz Turpin (Alan Rickman), que o enviou para a Austrália sob falsas acusações para que pudesse roubar sua mulher Lucy (Laura Michelle Kelly) e sua filha."
Para quem não sabe eu sou uma grande fã do Johnny Depp, de tal modo que eu sempre procuro ficar atualizada por dentro dos projetos que ele faz e busco conhecer os que ele já fez no passado. Assim, depois de fazer muitas pesquisas eu acabei decidindo que queria assistir "Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet", apesar da história sombria que o filme parecia contar. Fui atrás do filme dessa mesma maneira e acabei gostando, mais uma parceria entre Depp + Burton + Carter que me agradou e muito.
E algo que eu achei legal no elenco do filme é que boa atores que atuaram em "Sweeney Todd", também atuaram nos filmes da franquia de Harry Potter:
-Helena Bonham Carter: Sra.Lovett e Bellatrix Lestrange;
-Alan Rickman: Juiz Turpin e Severus Snape;
-Jamie Campbell Bower: Anthony Hope e Gellert Grindelwald;
-Timothy Spall: Beadle e Peter Pettigrew.

LES MISÉRABLES
"Adaptação de musical da Broadway, que por sua vez foi inspirado em clássica obra do escritor Victor Hugo. A história se passa em plena Revolução Francesa do século XIX. Jean Valjean (Hugh Jackman) rouba um pão para alimentar a irmã mais nova e acaba sendo preso por isso. Solto tempos depois, ele tentará recomeçar sua vida e se redimir. Ao mesmo tempo em que tenta fugir da perseguição do inspetor Javert (Russell Crowe)."
E por último, mas nem menos importante está o filme "Les Misérables"! O ganhador de vários prêmios se tornou um dos meus favoritos, tanto é que eu tenho a trilha sonora inteira dele no meu celular e não me canso de assistir ao filme ou escutar as músicas. Com personagens cativantes, um figurino espetacular e músicas excelentes (Anne Hathaway roubou a cena cantando "I Dreamed A Dream", e Samantha Barks soltando aquela voz ao cantar "On My Own"). Esse filme não se tornou apenas um dos meus musicais preferidos, e sim um dos meus filmes preferidos.
  • Share