Meus Clássicos Favoritos da Disney

No mês de Outubro acontece um dos meus feriados favoritos: O Dia das Crianças. E mesmo estando com 19 anos ainda não me cansei de ficar animada com essa data, é um tempo em que eu fico nostálgica e percebo como foi bacana a minha infância, e como eu me considero uma pessoa super sortuda por ter crescido em um prédio cheio de crianças com quem eu já me diverti bastante. E como forma de celebrar essa infância que eu tive resolvi reunir nesse post os meus clássicos favoritos da Disney!
1) A PEQUENA SEREIA
"Ariel é a filha caçula do Rei Tritão, comandante dos sete mares, que está insatisfeita com sua vida. Ela deseja caminhar entre os humanos para conhecê-los melhor, mas sempre é proibida por seu pai, que considera os humanos como sendo "bárbaros comedores de peixe". Até que ela se apaixona por um jovem príncipe e, no intuito de conhecê-lo, resolve firmar um pacto com Úrsula, a bruxa do reino, que faz com que ela ganhe pernas e se torne uma verdadeira humana. Porém, Úrsula também tem seus planos e eles incluem a conquista do reino de Tritão."



2) BELA E A FERA
"Em uma pequena aldeia da França vive Belle, uma jovem inteligente que é considerada estranha pelo moradores da localidade, e seu pai, Maurice, um inventor que é visto como um louco. Ela é cortejada por Gaston, que quer casar com ela. Mas apesar de todas as jovens do lugarejo o acharem um homem bonito, Belle não o suporta, pois vê nele uma pessoa primitiva e convencida. Quando o pai de Belle vai para uma feira demonstrar sua nova invenção, ele acaba se perdendo na floresta e é atacado por lobos. Desesperado, Maurice procura abrigo em um castelo, mas acaba se tornando prisioneiro da Fera, o senhor do castelo, que na verdade é um príncipe que foi amaldiçoado por uma feiticeira quando negou abrigo a ela. Quando Belle sente que algo aconteceu ao seu pai vai à sua procura. Ela chega ao castelo e lá faz um acordo com a Fera: se seu pai fosse libertado ela ficaria no castelo para sempre. A Fera concorda e todos os "moradores" do castelo, que lá vivem e também foram transformados em objetos falantes, sentem que esta pode ser a chance do feitiço ser quebrado. Mas isto só acontecerá se a Fera amar alguém e esta pessoa retribuir o seu amor, sendo que isto tem de ser rápido, pois quando a última pétala de uma rosa encantada cair o feitiço não poderá ser mais desfeito."

3) POCAHONTAS
"Um navio parte da Inglaterra com o objetivo de encontrar o "novo mundo", tendo a bordo o governador Ratcliff (David Ogden Stiers), que está ansioso em encontrar ouro, e o capitão John Smith (Mel Gibson). Ao chegarem, John decide explorar o mundo desconhecido. Logo encontra Pocahontas (Irene Bedard), uma bela índia por quem se apaixona. Só que o povo índio e os ingleses logo entram em guerra, já que estão em disputa pelas terras da América."

4) O CORCUNDA DE NOTRE DAME
"Em Paris, durante a Idade Média, vive Quasímodo, um corcunda que mora enclausurado desde a infância nos porões da catedral de Notre Dame. Um dia Quasímodo decide sair da escuridão em que vive e conhece Esmeralda, uma bela cigana por quem se apaixona. Para conseguir concretizar seu amor ele terá antes que enfrentar o poderoso Claude Frollo e seu fiel ajudante Febo."

5) MULAN
"Quando os mongóis invadem a China, o imperador (Pat Morita) decreta que cada família ceda um homem para o exército imperial. Com isso, uma jovem fica angustiada ao ver seu velho e doente pai ser convocado, por ser o único homem da família. Ele precisa ir, mesmo sabendo que certamente morrerá, para manter a honra da família. Assim, sua filha rouba sua armadura e espada, se disfarça de homem e se apresenta no lugar do pai, mas os espíritos dos ancestrais decidem protegê-la e ordenam a um dragão (Eddie Murphy), que havia caído em desgraça, que convença a jovem a abandonar seu plano. Ele concorda, mas quando conhece a jovem descobre que ela não pode ter dissuadida e, assim, decide ajudá-la a cumprir sua perigosa missão de ir para a guerra e voltar viva."

6) REI LEÃO 2: O REINO DE SIMBA
"Kiara (Neve Campbell) é a filhote de Simba (Matthew Broderick) e Nala (Moira Kelly). A pequena leoa tem um espírito livre e aventureiro. Um dia, ela resolve passear para além dos limites do território de seu pai e encontra os descendentes do maléfico Scar. Um dos descendentes do algoz de Mufasa (James Earl Jones) é Kovu (Jason Marsden), que se torna um grande amigo de Kiara. Entretanto, o amor entre os dois leõezinhos irá reacender uma rivalidade histórica."

Ainda tem mais, só que ficaria muito longo para apenas um post. Até o final do mês vou falar sobre o restante dos meus clássicos favoritos. Espero que vocês gostem dos filmes que eu listei, e não deixe de comentar quais eram os seus filmes favoritos da Disney!
  • Share

A Culpa Não É Sua

Imagem do Pinterest
Ei você aí, levanta essa sua cabeça, enxugue essas lágrimas, coloque um sorriso no rosto e não se esqueça da atitude confiante. Você fez isso? Se sim, preste bastante atenção no segredo que vou te contar agora: a culpa não é sua, nunca foi.

Aqui vem um fato bastante engraçado sobre a vida: ela adora ferrar com a gente, cada dia ela prega uma nova peça. Isso é revoltante, eu sei, dá vontade de sair xingando todo mundo nos momentos de raiva, e em outras ocasiões a gente até chega a chorar quando tudo parece estar dando errado.

Nossas vidas são formadas por vários amores, alguns são eternos, como os amores que sentimos por nossos pais, outros familiares e alguns amigos muito importantes, já outros são breves, chegam a ser questão de meses ou até mesmo menos que isso, afinal de contas quem nunca desenvolveu uma rápida paixonite pelo crush do ônibus? Ele era tão lindo e parecia ser uma pessoa tão legal, pena que desceu um ponto antes de mim. Mas, a grande questão é que esses amores marcam a nossa vida de várias maneiras, alguns vão ser lembrados por anos e outros esquecidos em questões de meses.

Só por que um relacionamento não deu certo isso não significa que todos os seus futuros relacionamentos estão fadados a dar errado, pois cada pessoa é diferente da outra, assim como as experiências também são. Nada se repete da mesma maneira como o passado. Às vezes simplesmente não era para ser, vocês deveriam estar em fases diferentes da vida, buscando coisas diferentes. Não era o momento certo, quem saber não rola novamente em um futuro distante? Ou, talvez, ele não seja a pessoa certa para você.

Apenas não fique achando que isso é sua culpa, pois não é e muito menos ele é culpado por isso também. Ninguém tem culpa disso. Os términos fazem parte da vida e isso não vai mudar. Quando uma porta se fecha outra se abre, então não deixe que as experiências negativas lhe impeçam de viver e aproveitar o futuro, pois você ainda tem um longo caminho pela frente.

Você ainda vai se decepcionar e se alegrar com as pessoas, ficar triste e muito feliz, vai chorar muito e também vai dar ótimas gargalhadas. Garota, você ainda tem muito o que viver, vai passar por algumas épocas que vão se assemelhar com uma grande tempestade, mas depois sua vida vai seguir por um momento bastante florido.  
  • Share

Resenha: Dama da Meia-Noite

Título: Dama da Meia-Noite (Os Artifícios das Trevas #1)
Autor(a): Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Número de páginas: 574
Classificação: 3/5

É um fato de que Cassandra Clare tornou-se um fenômeno, conquistando uma legião de fãs através de suas histórias sobre os caçadores de sombras, ela criou um mundo inteiramente novo que cada dia vem atraindo mais e mais leitores. E agora ela está de volta com a sua mais nova série: Os Artifícios das Trevas, onde são apresentados novos personagens, aventuras cada vez mais perigosas e o reencontro com antigos personagens queridos pelo público.
"Em um mundo secreto onde guerreiros meio-anjo juraram lutar contra demônios, parabatai é uma palavra sagrada.
O parabatai é o seu parceiro na batalha. O parabatai é seu melhor amigo. Parabatai pode ser tudo para o outro mas eles nunca podem se apaixonar.
Emma Carstairs é uma Caçadora de Sombras, uma em uma longa linhagem de Caçadores de Sombras encarregados de protegerem o mundo de demônios. Com seu parabatai Julian Blackthorn, ela patrulha as ruas de uma Los Angeles escondida onde os vampiros fazem festa na Sunset Strip, e fadas estão à beira de uma guerra aberta com os Caçadores de Sombras. Quando corpos de seres humanos e fadas começam a aparecer mortos da mesma forma que os pais de Emma foram assassinados anos atrás, uma aliança é formada. Esta é a chance de Emma de vingança e a possibilidade de Julian ter de volta seu meio-irmão fada, Mark, que foi sequestrado há cinco anos. Tudo que Emma, Mark e Julian tem a fazer é resolver os assassinatos dentro de duas semanas antes que o assassino coloque eles na mira.
Suas buscas levam Emma de cavernas no mar cheias de magia para uma loteria sombria onde a morte é dispensada. Enquanto ela vai descobrindo seu passado, ela começa a confrontar os segredos do presente: O que Julian vem escondendo dela todos esses anos? Por que a Lei Shadowhunter proíbe parabatais de se apaixonarem? Quem realmente matou seus pais e ela pode suportar saber a verdade?
A magia e aventura das Crônicas dos Caçadres de Sombras tem capturado a imaginação de milhões de leitores em todo o mundo. Apaixone-se com Emma e seus amigos neste emocionante e de cortar o coração no volume que pretende deliciar tantos novos leitores como os fãs de longa data." 
Há cinco anos, Sebastian Morgenstern junto de seus Crepusculares estavam invadindo os Institutos para transformar mais Caçadores de Sombras em Caçadores Malignos, e com isso eles atacam o Instituto de Los Angeles onde vivem as famílias Blackthorn e Castairs. Isso mudou a vida de muitos que perderam alguns parentes e amigos queridos, principalmente a dos jovens Emma Carstairs e Julian Blackthorn, ambos perderam seus pais quando eram novos e desde então precisaram a se adaptar às novas mudanças.

Mesmo com os anos tendo de passado desde a guerra, Emma nunca conseguiu esquecer-se da morte de seus pais, de modo que quando estranhos assassinatos começam a acontecer — todos aparentemente ligados aos integrantes do submundo — a jovem não pode evitar de investigar as pistas, acreditando que dessa vez irá conseguir chegar ao verdadeiro assassino de seus pais já que ela tem certeza de que Sebastian não estava envolvido nesse assassinato.
"— Vingança não é família, Emma. Não é uma amiga e é uma amante fria." 
É uma tarefa bastante perigosa, ainda mais por ir contra as ordens da Clave, e para isso ela acaba contando com ajuda de sua amiga Cristina e do apoio da família Blackthorn — eles se tornaram a família de Emma desde que ela perdera seus pais. Eles são os únicos com quem ela pode contar, além de serem os únicos que parecem acreditar que ela está falando a verdade, é mais conveniente para os integrantes da Clave atribuir toda a culpa pelas mortes para Sebastian e seus seguidores ao invés de terem de lidar com uma nova ameaça.

E como se esse não fosse o único problema para os Caçadores de Sombra, Julian e os outros membros do Instituto precisam esconder a volta de Mark Blackthorn — meio Caçador de Sombras e meio fada, o irmão mais velho que foi levado pelo povo das fadas durante a guerra —, pois estão violando uma regra da Clave, já que desde a guerra foi estabelecido que não se poderia manter nenhum tipo de contato com as fadas. Como se isso não fosse o suficiente, a volta definitiva de Mark está restringida a solução de todos os assassinatos, o que faz crescer a pressão. Se antes eles tinham de resolver aquilo pela Emma, agora estava em jogo a liberdade de Mark.
"— Se tem uma coisa que aprendi na vida, e assumo que não aprendi muito é isso: nem o Povo das Fadas, nem os mortais sabem o que é amor ou não amor. Ninguém sabe."
Como são parabatais é nesse momento de crise que Emma e Julian se tornam cada vez mais próximos, os laços que os unem se fortificam. Um sente a dor do outro quando machucam, sentem o alivio quando se curam e não conseguem suportar quando um está sofrendo. É como se eles fossem apenas um. Em circunstâncias normais seria ótimo se apaixonar por seu melhor amigo e esse sentimento ser recíproco, mas por serem parabatais viver esse amor é impossível uma vez que estariam quebrando uma das regras mais rígidas da Clave, e as consequências são duras para quem desrespeita isso. Sendo assim, além de precisar lidar com os assassinatos misteriosos, a volta de Mark, Julian e Emma passam a enfrentar um novo problema: conseguir controlar e esconder a paixão que sentem um pelo outro.
"— Quando você ama alguém a pessoa se torna parte de quem você é. Está presente em tudo que você faz. Ela é o ar que você respira, a água que você bebe e o sangue que corre em suas veias."
Admito que tenho um pouco de receio quando um autor passa a escrever várias séries abordando um mesmo assunto, tinha medo de que "Dama da Meia-Noite" fosse um livro repetitivo, de que os problemas dos personagens fossem parecidos com dos livros anteriores e que as ameaças fossem as mesmas. Mas, é com alegria que eu digo que a Cassandra Clare conseguiu fazer um livro bacana, sem um enredo maçante abordando novamente os Caçadores de Sombras e acredito que se ela continuar seguindo por esse mesmo caminho "Os Artifícios das Trevas" vai se tornar uma série tão boa quanto as outras.

Achei muito boa a construção dos personagens, todos foram bem estruturados e alguns apresentam dilemas internos bem interessantes. Gostei muito da Emma, normalmente algumas pessoas não gostam muito das pessoas boazinhas por as considerarem chatinhas, personagens sem sal, mas a Emma é uma garota forte e durona e isso é o que eu mais amei nela: ela é boa, mas não tem nada de sonsa como encontramos em algumas personagens por aí.

Também adorei o fato da Cassandra ter colocado alguns personagens antigos nesse livro, foi muito bom poder ver o futuro deles e espero ver mais deles nos próximos livros que virão!
  • Share

O Lar das Crianças Peculiares

Acho que nunca mencionei para você, mas ou uma grande fã dos trabalhos do Tim Burton. Toda essa admiração pelo trabalho dele começou com "A Fantástica Fábrica de Chocolate", quando ainda era uma criança. Desde então sempre tento acompanhar ao trabalho dele, pois fico encantada com o modo que ele vê o mundo e como sempre consegue colocar algumas de suas características nos personagens de seus filmes. Ele é um homem brilhante, um incrível diretor. Sendo assim, não podia deixar de assistir esse filme!
"Após a estranha morte de seu avô (Terence Stamp), o jovem Jake (Asa Butterfield) parte com seu pai para o País de Gales. Lá ele pretende encontrar a srta. Peregrine (Eva Green), atendendo ao último pedido do avô, que lhe disse que "ela contará tudo". Só que, ao chegar, descobre que o local onde ela viveria é uma mansão em ruínas, que foi atingida por um míssil durante a Segunda Guerra Mundial. Ao investigar a área, Jake descobre que lá há uma fenda temporal, onde a srta. Peregrine vive e protege várias crianças dotadas de poderes especiais."
O começo do filme se passa na Flórida, Estados Unidos, onde o jovem Jake (Asa Butterfield) mora junto de sua família. Ele é um garoto sem muitos amigos e suas tentativas de fazer amizade não são muito boas, de maneira que ele acaba se sentindo excluído. E em uma tarde ele recebe uma ligação informando que seu avô Abe (Terence Stamp) precisa de ajuda, sem nem pensar duas vezes Jake pede carona para a mulher de seu trabalho e corre para socorrer seu avô, mas quando chega a casa dele percebe que o problema que está enfrentando é muito maior do que um simples caso de demência. E algo terrível acontece: Jake acaba presenciando a morte de seu avô através das mãos de um monstro.

Esse acontecimento acabou sendo marcante de várias maneiras para a vida do garoto. Como tinha uma ligação bastante forte com o seu avô, não conseguia aceitar o fato de que ele havia morrido e questionava a explicação dos médicos e policiais. Durante três semanas Jake passa a ir a uma psicóloga para lidar com esse seu problema, e em umas das últimas sessões é sugerido que ele viaje para o País de Gales junto de seu pai com o objetivo de conhecer o orfanato onde seu avô cresceu, e tentar conhecer uma velha amiga dele: a srta. Peregrine — Alma Peregrine (Eva Green). 

No início a busca pelo orfanato se mostra decepcionante já que uma bomba caiu sobre ele em 1943, mas durante uma de suas visitas pelas ruínas do local Jake é surpreendido quando encontra algumas das crianças que já moraram junto de seu avô: Emma (Ella Purnell), a garota que é mais leve que o ar; Olive (Lauren McCrostie) que possuí uma habilidade surpreendente com o fogo; a pequena Bronwyn (Pixie Davies) que consegue ser mais forte que um lutador; Millard (Cameron King) que é invisível e os gêmeos (Thomas e Joseph Odwell). Juntos eles levam Jake para conhecer a srta. Peregrine que já estava a sua espera.
Ele conhece mais algumas crianças peculiares, além de conhecer um pouco mais sobre o local onde o seu avô cresceu. Mas apesar de todo o ambiente que parece ser completamente mágico, nem tudo é um mar de rosas por ali. Existe um grande perigo que ameaça a todos do orfanato: o poderoso Barron (Samuel L. Jackson) e seus seguidores, e Jake se torna a esperança de todos já que ele também peculiar, e assim como seu avô, ele possui uma habilidade que o torna capaz de salvar a todos.

Depois de um ano com blockbusters insatisfatórios, Tim Burton parece ter tirado a sorte grande com "O Lar das Crianças Peculiares", que chega a ser bastante interessante. É um filme engraçado, com cenas de aventura e uma enorme dose de fantasia com um local onde ninguém envelhece; viagem no tempo; fendas para outras dimensões e monstros. Não é o melhor filme do ano, mas é bastante interessante de se assistir, é encantador em algumas partes, têm cenas de ação dinâmica em outras. É um bom filme.

Um dos maiores acertos da trama foi Eva Green, que como de costume acabou se destacando com a personagem Alma Peregrine, que lembra um pouco a Mary Poppins, só que um pouco mais obscura e com um grande estilo. Eva é uma excelente atriz, podendo passar de uma bruxa fria, calculista e vingativa (o papel que a atriz teve em "Sombras da Noite", outro filme do Burton, onde ela interpretou a Angelique Bouchard) para uma cuidadosa, carinhosa e levemente cômica protetora de crianças (o seu papel no filme "O Lar das Crianças Peculiares"). É irreconhecível. Se eu não conhecesse a atriz nunca que iria adivinha que era ela nos dois papéis.
Já Samuel L. Jackson roubou todas as cenas engraçadas da trama, o que foi ótimo para o humor. Mas, por outro lado o seu papel como vilão poderia ter sido melhor aproveitado. É aquele tipico clichê: o vilão que tenta ser engraçado e com isso acaba sendo bem enrolado, nunca conseguindo completar de fato o que ele tem que fazer. Esperava mais dele.  

O filme é uma adaptação do livro "O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares", de Ransom Riggs. Como eu nunca li a obra não posso fazer a minha comparação entre livro e filme, mas depois de assistir a trama admito que estou com uma enorme curiosidade para ler o livro!

Ficha Técnica
  • Título: O Lar das Crianças Peculiares.
  • Gênero: Aventura, Família, Fantasia. 
  • Direção: Tim Burton.
  • Duração: 2h07min.
  • Elenco: Eva Green, Asa Butterfield, Samuel L. Jackson, Judi Dench, Rupert Everett, Allison Janney, Ella Purnell, Terence Stamp, Chris O'Dowd, Finlay MacMillan, Milo Parker, Kim Dickens, Pixie Davies, Ella Wahlestedt, Shaun Thomas.

Curiosidades:
  • O personagem de Samuel L. Jackson foi escrito especialmente para o filme.
  • O filme mudou de data de lançamento três vezes. Na última, foi adiantada do Natal de 2016 para setembro do mesmo ano.
  • O diretor descreveu a personagem principal, Miss Peregrine, como uma Mary Poppins assustadora
  • Baseado no romance "Miss Peregrine's Home for Peculiar Children", escrito por Ransom Riggs.
  • Diferentemente de outras produções que dirigiu, Tim Burton revelou que escolheu usar mais efeitos práticos que digitais no filme.
  • Share