Título: Paris Para Um e Outros Contos
Autor(a): Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 240
Classificação: 4/5

Os livros da Jojo Moyes se tornaram uma espécie de constante na minha estante, sempre que consigo eu compro mais eu e vou amentando a minha coleção de livros da autora. Desde o primeiro momento em que eu coloquei os olhos em "Paris Para Um e Outros Contos" me interessei pelo livro, mas só depois de ler a resenha que a minha amiga Laura escreveu Nostalgia Cinza (sigam o blog dela, vale a pena! Ela escreve muito bem, sem contar que  suas resenhas são ótimas), que eu finalmente tomei a decisão de lê-lo.
"Com mais de 20 milhões de livros vendidos em todo o mundo, Jojo Moyes se consagrou autora de grandes romances. Arrebatadoras, emocionantes, repletas de personagens fortes e realistas, suas obras conquistaram legiões de fãs e alcançaram listas de mais vendidos em diversos países.
Nessa vibrante coletânea, o leitor poderá conhecer mais um lado da autora. Em histórias curtas e divertidas, Jojo, sem deixar de lado as personagens decididas que conquistaram o público, faz sua conhecida mágica de transformar situações comuns em eventos extraordinários.
No conto que dá título ao livro, a jovem Nell planeja um final de semana romântico em Paris com o namorado e fica sabendo, já na estação, que ele desistiu de acompanhá-la. Sozinha em um país estrangeiro, Nell descobre uma nova versão de si mesma, independente e corajosa.
Outros contos incluem um assalto a uma joalheria com uma reviravolta amorosa, a história de uma mulher que passa um dia inteiro com os sapatos de outra pessoa e um shopping lotado de pessoas fazendo compras de Natal que vai revelar a uma esposa estressada o que de fato importa na vida.
E em “Lua de mel em Paris”, que fecha a coletânea, Jojo Moyes brinda os leitores com um reencontro com as personagens do best-seller A garota que você deixou para trás, Liv e Sophie, que, separadas por algumas décadas, acreditam que o casamento é apenas o início de suas histórias de amor.
Dez pequenas amostras da saborosa escrita de Jojo Moyes, divertidas, autênticas e irresistíveis — você vai ler e se encantar."
PARIS PARA UM
O conto que dá título ao livro conta a história de Nell, uma mulher muito organizada, meticulosa e que não está acostumada a tomar atitudes muito impulsivas. Porém, ela resolve mudar de atitude surpreendendo o seu namorado Pete com passagens para eles passarem  um final de semana em Paris. Muito romântico, não? Contudo os seus planos não acabam saindo como planejado, ao invés de um fim de semana cheio de romance Nell acaba indo sozinha para a cidade luz. Pode parecer uma ideia muito arriscara para alguém que nunca saiu sozinha e Paris, mas mesmo assim ela decide arriscar nessa ideia maluca, quem sabe assim ela não consegue uma história divertida para contar para os outros.
"Ela está em Paris, com roupas parisienses, preparando-se para sair com um francês com quem conversou em uma galeria de arte!
Deve estar maluca.
Esta é a coisa mais estúpida que já fez na vida."  
ENTRE TUÍTES
Declan Travis é o anfitrião de um popular programa de TV matutino, ele possui uma ótima reputação como um homem de família, intrigo e fiel. Contudo, toda essa sua boa imagem é colocada em risco quando ele começa a sofrer uma onda de calúnias na internet, onde uma tal de @Becca_Loura escrevendo do Twitter sobre o caso que tiveram no passado. E para evitar que isso acabe gerando uma grande polêmica na mídia, Declan contrata uma série de especialistas para descobrir quem está por trás de todas as mensagem raivosas, e o que a pessoa quer com isso.
"— Estou falando a verdade. Não faço ideia de quem é essa mulher. Ou por diabo ela está tentando destruir a minha vida."
TARDE DE AMOR
Depois de alguns anos de casamento e filhos a relação pode desgastar um pouco, pelo menos esse é o caso de Doug e Sara. Depois de se esquecer do aniversário de casamento deles, Doug resolve compensar o atrasado com um final de semana romântico, somente ele e sua mulher (nada de crianças dessa vez). O único problema é que Sara não gosta de surpresas, de modo que não fica muito confortável com a ideia.
"Ela olha para o próprio reflexo no espelho, a mulher irritada e com ar cansado vestindo uma blusa azul-clara. Ela observa e aos poucos imagina um tipo diferente de mulher: cabelo despenteado, voraz, feliz por agarrar seu amado em qualquer janela lasciva de oportunidade, por menor que seja."
UM PÁSSARO NA MÃO
Mesmo um pouco insegura, Beth decide acompanhar ao seu marido Simon a uma festa. Sua empolgação não é uma das maiores, e encontrar Ben (o seu ex-amante) não ajuda em nada a situação. Mesmo tomando cuidado para seu marido não a avisar conversando com Ben, coincidentemente os dois se sentam um ao lado do outro no jantar formal. Essa reaproximação permite Beth enxergar um ponto de vista diferente do término deles.
"— Não há nada o que dizer. Você está casado, eu estou casada. Seguimos em frente.
Ela sentiu uma leve pressão e se deu conta, chocada, de que era a perna dele tocando a sua.
— Você seguiu? — perguntou ele baixinho, e as palavras a atravessaram como um abalo sísmico. — Mesmo?"
SAPATO DE COURO E CROCODILO
Sam é uma mulher de meia-idade e sua vida sofre uma verdadeira transformação causada por um par de sapatos. Ela estava na academia quando uma senhora (uma das "Mães Gostosas" como ela gosta de se referir) acabou levando sua mochila por engano. Ao invés de encontrar os seus confortáveis sapatos, Sam se depara  com um par de Louboutins e se vê obrigada a usar tais sapatos (mesmo os considerando desconfortáveis, bem diferente do que ela gosta e está costumada a usar). A única coisa que ela não podia prever era que os novos sapatos poderiam ser capazes de mudar sua vida tanto no âmbito profissional quanto no pessoal.
"— Ah meu Deus, amei os seus sapatos! — exclama.
— Na verdade, eles são... — começa Sam. Então se detém e sorri. — Eles são lindos, não acha?
ASSALTO
Alice é uma jovem que trabalha em uma joalheria, e o que era para ser mais um dia comum de trabalho acabou se tornando uma enorme confusão quando três assaltantes abordam os clientes e os trabalhadores da loja. A tranquilidade de Alice para lidar com a situação chega a ser surpreendente, ao invés de gritar por ajuda ou demonstrar medo ela acaba fazendo amizade com um dos assaltantes, até mesmo da início a uma conversa sedutora para saber quem a verdadeira identidade do homem.
" — Por favor. Não faça nenhuma idiotice.
— Você está apontando um taco para uma mulher desarmada, e usa uma meia na cabeça. E acha que eu estou fazendo uma idiotice?"
O CASACO DO ANO PASSADO
Todo relacionamento passa por um período de dificuldades, certo? Sim, e esse é o atual momento que Greg e Evie estão tendo de lidar com alguns problemas financeiros, ou seja, não estão podendo gastar o dinheiro que possuem com futilidades. Isso realmente é péssimo! As garotas do Marketing onde Evie trabalha sempre estão desfilando com roupas novas, enquanto ela continua com o seu casaco esfarrapado. E como se a situação do seu trabalho não fosse o suficiente, todos os dias ela passa por uma vitrine onde fica observando um  belo casaco de pele com um colar e não pode pagar.
"Não muito tempo antes, teria comprado o casaco. Ela teria exibido na hora do almoço, desfilando com ele diante das meninas do Departamento de Marketing, e o teria levado para casa dentro da sacola sofisticada, o peso balançando satisfatoriamente em suas pernas."
TREZE DIAS COM JOHN C
Durante sua caminhada noturna Miranda encontrou um celular jogado no gramado, com o intuito de descobrir a quem pertence ela começa a bisbilhotar o aparelho em busca de alguma dica. É assim que ela descobre as mensagens entre John C e de Scarlet (como se chama a proprietária do telefone). Devido a sua curiosidade e tédio, Miranda arriscou trocar algumas mensagem com John C, se passando por Scarlet. O único problema era que ela não esperava acabar gostando tando daquilo, além de desenvolver uma conexão com ele.
"Miranda olhou para a mensagem, destinada à pessoa que deveria estar sentada naquela cadeira. Você faz o meu sangue ferver."
A LISTA DE NATAL
Comprar presentes não é uma tarefa fácil, ainda mais quando se trata de agradar a sua sogra. Neste conto conhecemos Chrissie, uma mulher exausta que está percorrendo a cidade na véspera de Natal para terminar as suas compras. E após conseguir pegar um táxi, ela acaba desencadeando uma conversa com o motorista que poderá mudar a sua vida.
"É como se ela tivesse perdido o fôlego. De repente imagina os quatro em torno da mesa de Natal e ouve David pedir desculpas mordazes a sua família por causa do bolo de Natal "errado". E algo dentro dela cede."
LUA DE MEL EM PARIS
E no último conto conhecemos a história de dois casais, em tempos diferentes (um se passa em 1912, já o outro se passa em 2002), descobrindo o real significado do casamento. Em 1912, vemos como Sophie e Édouard fizeram para enfrentar algumas situações difíceis. Já em 2002, conhecemos Liv e David que estão em lua de mel, mas não conseguem aproveitar como desejam uma vez que sempre surge um imprevisto.
"Mas ele não conseguiu terminar a frase. Eu já tinha calado sua boca com a minha."
A leitura de "Paris Para Um e Outros Contos" foi completamente apaixonante! Todos os contos falam sobre algum tipo de amor: aquela paixão intensa que você sente por uma pessoa,as dificuldades de uma relação, o término e até o amor próprio.

Se você gosta de contos, esse livro é um que realmente vale a pena (coloque ele na sua lista de leitura)! Os meus favoritos foram: Paris Para Um, Sapato de Couro e Crocodilo, Assalto e  Treze Dias Com John C. E o último, Lua de Mel em Paris, foi baseado em um outro livro da Jojo Moyes, porém não é preciso lê-lo para entender o conto (tanto é que só fui descobrir depois de terminar "Paris Para Um e Outros Contos").


Título: No Seu Olhar
Autor(a): Nicholas Sparks
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 432
Classificação: 3/5

Dos 13 até o 15 anos eu me tornei uma grande fã dos livros do Nicholas Sparks, sempre que tinha um lançamento eu fazia questão de comprar. Entre os livros que o autor escreveu "A Última Música" se tornou o meu favorito, até perdi as contas de quantas vezes eu já reli ele. Porém, chegou um momento da minha vida em que eu me cansei de seus romances, afinal de contas todos eles seguiam uma mesma fórmula e eram um tanto quanto clichês. Passei uns cinco anos sem ler nenhuma obra dele, até que eu resolvi dar uma segunda chance quando eu ganhei o livro "No Seu Olhar".
"Filha de imigrantes mexicanos, Maria Sanchez é uma advogada inteligente, bonita e bem-sucedida que aprendeu cedo o valor do trabalho duro e de uma rotina regrada. Porém um trauma a faz questionar tudo em que acreditava e voltar para sua cidade natal, a pequena Wilmington.
A cidade também é o lugar que Colin Hancock escolheu para se dar uma segunda chance. Apesar de jovem, ele sofreu mais violência e abandono do que a maioria das pessoas. Também cometeu sua parcela de erro e magoou mais gente do que gostaria. Agora está determinado a mudar de vida, tornar-se professor e dar às crianças o carinho e a atenção que ele próprio não teve.
Colin e Maria não foram feitos um para o outro, mas um encontro casual durante uma tempestade mudará o rumo de suas histórias. Ao confrontar as diferenças entre os dois, eles questionarão as próprias convicções. E ao enxergar além das aparências, redescobrirão a capacidade de amar.
Porém, nessa frágil busca por um recomeço, o relacionamento deles é ameaçado por uma série de incidentes suspeitos que reaviva antigos sofrimentos. E quando um perigo real começa a se impor, Colin e Maria precisam lutar para que o amor sobreviva.
Com uma trama madura e repleta de emoções e de suspense, No Seu Olhar mostra que o amor às vezes é forjado em crises que ameaçam nos destruir e que o primeiro passo para a felicidade é acreditar em quem podemos ser."
O livro narra a história de Maria Sanchez — filha de imigrantes mexicanos —, uma jovem advogada que possui uma ótima carreira. Desde pequena ela sempre foi extremamente responsável, tirando ótimas notas o que garantiu que ela pudesse cursar uma boa faculdade. E depois que se formo Maria logo atingiu sua independência financeira, quando conseguiu um trabalho no Condado de Mecklenburg. Mesmo não sendo o trabalho mais fácil do mundo — ela precisava lidar com algumas situações complicadas —, sentia-se realizada profissionalmente, era como se tivesse conquistado tudo pelo qual tinha se esforçado e batalhado.

Porém, depois de um período traumático que lhe rendeu alguns pesadelos, além de desencadear uma crise de pânico Maria revolve voltar para sua cidade natal. Ela sempre foi uma pessoa ligada à sua família, então ficar próxima de seus pais e de sua irmã mais nova até que não é uma ideia tão ruim. Sendo assim, Maria retorna para a pequena cidade de Wilmington, na Carolina do Norte, onde conseguiu um emprego em um conceituado escritório de advocacia.
“Você se preocupa demais com o modo como é vista pelas outras pessoas, mas para mim isso é um erro. No fim das contas a única pessoa a quem você pode agradar de verdade é você mesma. O que as outras pessoas sentem é coisa delas.”
Colin Hancock é totalmente o oposto da mulher. O homem, desde pequeno, sempre foi bem problemático e nunca teve um bom relacionamento com sua família. O seu passado era marcado por inúmeras encrencas com a polícia, uma vez que seu nome estava ligado a inúmeros casos de brigas e violência. Até mesmo chegou a ser preso em uma dessas ocasiões, mas graças ao dinheiro de seu pai e um acordo com a polícia Colin conseguiu a sua liberdade. Definitivamente ele era um verdadeiro garoto problema.

E para não ir novamente para trás das grades, Colin está se esforçando para mudar o seu comportamento. Ele entrou em uma faculdade e nutre o sonho de se tornar professor, pois acredita que pode ser capaz de ajudar crianças que possuem o mesmo problema que ele: transtorno de raiva e TDAH (transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade). E as brigas não fazem mais parte da sua vida, exceto as lutas de MMA, que foi o modo que ele encontrou para poder ganhar algum dinheiro e complementar o salário que ganha por trabalhar em um restaurante local.
“O que queria com ele afinal? Colin era o tipo de cara que ela costumava processar. Até ontem se alguém sequer fizesse a sugestão de que ela saísse com um cara que tivesse o passado dele, ela teria gargalhado ou ficado ofendida.”
Como é possível que duas pessoas tão diferentes fiquem juntas? É por uma verdadeira obra do destino em que eles acabam se encontrando em ma noite de chuva, quando o carro de Maria estraga no meio da estrada. Esse não é um dos melhores encontros do mundo, ainda mais com uma tempestade acontecendo. Porém, graças a ajuda de Serena (a irmã mais nova de Maria e que, coincidentemente, faz algumas aulas junto de Colin os dois acabam se encontrando novamente.

A atração que sentem um pelo outro é muito grande para negar, de modo que é impossível lutar contra esse sentimento tão forte. E esse é apenas o começo de uma história surpreendente, em que duas pessoas completamente opostas decidem ficar juntas.
"O amor enxerga além das adversidades."
Achei interessante ler um livro do Nicholas Sparks depois de tanto tempo, senti como se estivesse voltando ao passado — nos meus 13 aos 15 anos, quando eu lia os romances dele compulsivamente. Também reconheci algumas características que me fizeram cansar de seus livros: o casal que fica junto, algo acontece e eles se separam (sem contar com alguns finais trágicos, não é uma regra constante, mas são comuns). É um verdadeiro clichê que conquistou milhares de leitores. Porém, apesar disso até que eu tive uma experiência positiva com "No Seu Olhar". Não vou voltar a ser uma fã no Sparks como eu já fui no passado, mas foi uma leitura que valeu a pena.


Imagem do Pinterest
Junho é o mês do Orgulho LGBT, e nos últimos anos uma grande representatividade cresceu no meio da música, TV, cinema e, claro, na literatura. Sendo assim, selecionei alguns livros que abordam um pouco dessa temática. Espero que vocês gostem das sugestões, e se conhecerem algum livro que não está nessa lista não deixe de comentar!

1) Título: As Vantagens de Ser Invisível
Autor(a): Stephen Chbosky
Editora: Rocco Jovens Leitores
Número de páginas: 224
"Elogiado pela crítica e adorado pelos leitores, As vantagens de ser invisível – que foi adaptado para os cinemas com Emma Watson, a Hermione de Harry Potter, e Logan Lerman, de Percy Jackson, no elenco – acaba de ganhar nova reimpressão pela Rocco. Livro de estreia do roteirista Stephen Chbosky, o romance, que vendeu mais de 700 mil exemplares nos EUA desde o lançamento, está de volta ao topo do ranking do The New York Times impulsionado pela adaptação para a telona.
Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, As vantagens de ser invisível reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, As vantagens de ser invisível reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo."

2) Título: Garoto Encontra Garoto
Autor(a): David Levithan
Editora: Galera Record
Número de páginas: 240
"Paul estuda em uma escola nada convencional. A rainha do baile é uma quarterback drag queen, líderes de torcida andam de moto e a aliança entre gays e héteros ajudou os garotos héteros a aprenderem a dançar. Paul conhece Noah, o cara dos seus sonhos, mas estraga tudo de forma espetacular. E agora precisa vencer alguns desafios antes de reconquistá-lo: ajudar seu melhor amigo a lidar com os pais ultrarreligiosos que desaprovam sua orientação sexual, lidar com o fato de a sua melhor amiga estar namorando o maior babaca da escola e, enfim, acreditar no amor o bastante para recuperar Noah."

3) Título: Simon vs. a agenda Homo Sapiens
Autor(a): Becky Albertalli
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 272
"Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte. Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar.
Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu. Uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e os dilemas pelos quais todos nós, adolescentes ou não, precisamos enfrentar para nos encontrarmos."



4) Título: 1+1 - A Matemática do Amor Vinícius Grossos Augusto Alvarenga
Autor(a): Vinícius Grossos e Augusto Alvarenga
Editora: Faro Editorial
Número de páginas: 256
"Lucas e Bernardo são dois garotos, melhores amigos um do outro de toda a vida. De repente, recebem a notícia de que Bernardo irá se mudar com a família para outro país. Nesse momento, cada um a seu modo, percebe como valiosa era aquela amizade, algo que não queriam perder. Bernardo reage mal e se revolta. Lucas tenta transformar cada dia que resta com o amigo na melhor experiência de suas vidas. Ele escreve uma lista de coisas para fazer e pretende cumprir uma por uma, em todos os detalhes. Mas, a cada dia, o fantasma da separação os assombra com um cronômetro lembrando que o tempo se esgota e, ainda assim, os dois passam por grandes momentos juntos. Então os meninos percebem que há algo mais entre eles... um sentimento profundo, que não conseguem explicar e tornam todas aquelas experiências ainda mais intensas. Mas o que fazer com tudo isso quando se tem apenas 16 anos?"

5) Título: Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo
Autor(a): Benjamin Alire Sáenz
Editora: Seguinte
Número de páginas: 392
"Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão.
Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo."


6) Título: A Garota Dinamarquesa David Ebershoff
Autor(a): David Ebershoff
Editora: Fábrica 231
Número de páginas: 398
"Com estreia nos cinemas em fevereiro, já acenando com um possível novo Oscar para Eddie Redmayne, ganhador da estatueta de melhor ator por A teoria de tudo, A garota dinamarquesa reconstrói a história de Lily Elbe, talvez a primeira transexual da história a fazer a cirurgia de redesignação sexual (ou “mudança de sexo”). Vivendo até a meia-idade como Einar, um pintor dinamarquês na Europa dos anos 1920 e 1930, ela teve a sorte de contar não apenas com um médico pioneiro, mas com uma mulher brilhante, generosa e apaixonada, sua própria esposa, Greta, para encontrar sua verdadeira identidade. Num momento em que as questões de gênero estão cada vez mais em voga, o aclamado romance de David Ebershoff, que volta às prateleiras com novo projeto gráfico, capa com o pôster do filme e posfácio assinado pelo autor, é um livro delicado e envolvente e uma leitura necessária nos dias atuais."

7) Título: Todo Dia
Autor(a): David Levithan
Editora: Galera Record
Número de páginas: 280
"Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrarem a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor."



8) Título: Will & Will - Um nome, um destino
Autor(a): John Green e David Levithan
Editora: Galera Record
Número de páginas: 352
"Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra... Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Mas mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em um aventura de épicas proporções. O mais fabuloso musical a jamais ser apresentado nos palcos politicamente corretos do ensino médio."


Título: Uma Noite Como Esta (Quarteto Smythe-Smith #2)
Autor(a): Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 272
Classificação: 3/5

Não é nenhuma novidade para os leitores do blog que eu sou uma grande fã da Julian Quinn e de seus livros. Então, é com muita alegria que venho aqui resenhar o segundo livro da série Quarteto Smythe-Smith, que está conquistando o meu coração com uma (outra) numerosa família que se mete em muitas aventuras e em algumas confusões.
"Daniel Smythe-Smith passou três anos exilado na Itália depois de um duelo com seu amigo, o gênio matemático Hugh Prentice, e quase o fez perder uma perna. Com isso o pai de Hugh, Lorde Ramsgate, o ameaçou dizendo que se ele não saísse do país seria morto, mas um dia ele recebe a visita de seu amigo, que o libera para voltar à Inglaterra...
Ele volta justamente no dia da apresentação do Quarteto, mas encontra uma pessoa diferente ao piano (já que sua prima Sarah fingiu estar doente para não participar, Anne Wynter, a governanta das irmãs dela a substituiu), ao olhar para ela, ele fica encantado e, ao final da tortura apresentação ele corre para encontrá-la. Ao vê-la, não resiste e a beija, mesmo sem conhecê-la direito e ela, depois de um tempo escapa dele e se esconde.
Por falar em se esconder, Anne Wynter (ou melhor, Annelise Shawcross) esconde seu passado de todos, pois ela teve que se afastar de sua família, após ser enganada e humilhada por seu amado, que prometeu se casar com ela, sendo que na verdade já estava comprometido com uma mulher mais rica. Além de ter perdido a virgindade, o que já era terrível, ainda leva toda a culpa pelo que aconteceu, e por isso, ela não pode mais ter contato com a família e ela é levada para viver como governanta numa residência na Ilha de Man. Depois de um tempo, Anne foi contratada para cuidar das meninas Pleinsworth, primas de Daniel. E apesar da tentativa de manter seu passado oculto, a Lady Pleinsworth desconfiava que ela era de origem nobre e tinha motivos para negar sua criação.
Pleinsworth desconfiava que ela era de origem nobre e tinha motivos para negar sua criação.Daniel, ao saber que Anne é a governanta de suas primas, resolve ir sempre à casa Pleinsworth sob o pretexto de vê-las, e sempre ia passear com elas, porque sabia que ela iria junto. E, com isso eles vão ficando cada vez mais apaixonados, mesmo que ela não adimita. Mas, o que ele não sabe, é que os segredos de Anne, vão além do tipo de criação que teve, e que agora, mais do que nunca, precisará conhecer o seu passado, pois ambos estão correndo perigo, e, desta vez, não tem nada a ver com o Lorde Ramsgate ou o duelo." 
Nesse livro conhecemos um pouco mais sobre Daniel Smythe-Smith, o irmão mais velho de Honoria Smythe-Smith e o melhor amigo de Marcus Holroyd, o Duque de Chatteris (os protagonistas de Simplesmente o Paraíso). Há três anos, Daniel se envolveu em um duelo  de cavaleiros com o seu amigo Hugh Prentice, uma confusão que foi causada por muita bebida, um jogo de cartas e uma acusação sobre um dos participantes terem roubado. Como estavam alcoolizados tanto Daniel quanto Hugh erraram a pontaria ao atirar no adversário. O Smythe-Smith levou um tiro no ombro e o Prentice levou um tiro na coxa, porém uma veia foi atingida quase matando o homem.

Tudo aquilo não passou de um mal entendido, além de uma péssima pontaria (o álcool não ajudou em nada, apenas serviu para atrapalhar). Não era a intenção de Daniel ferir o seu amigo. E embora o rapaz tenha tentado se justificar, explicando o que tinha acontecido e evidenciando que não era a sua intenção machucar ou matar Hugh, porém isso não foi o suficiente. O pai de Hugh não perdoou Daniel pelo ferimento causado o seu filho, por tê-lo tornado em um "incapaz" e jurou vingança ao rapaz.

Sendo assim, Daniel foi obrigado a deixar a Inglaterra e passou três anos longe de casa, viajando por vários países do continente europeu e fugindo de assassinos contratados para matá-lo. E quando finalmente tem a oportunidade de voltar para casa Smythe-Smith, o atual conde de Winstead, retorna para casa justo no dia do tão tradicional concerto da sua família: anualmente as mulheres da família Smythe-Smith tocam em um recital e apenas podem sair do concerto quando se casam. E além dessa tradição ligada a música, todas as garotas também são péssimas tocando os seus instrumentos e sabem muito bem disso. Porém, naquele ano tinha algo de diferente no recital familiar. Era uma moça muito atraente que estava tocando no piano, tentando acompanhar o restante das garotas em uma falha tentativa. E essa garota chama atenção de Daniel durante a noite inteira. 
 "A jovem tinha o cheiro da Inglaterra, da chuva suave e das planícies beijadas pelo sol. E sentir seu corpo era como estar no paraíso."
Anne Wynter (ou melhor, Annelise Shawcross) é uma excelente governanta e que possuiu um trabalho agradável cuidado das jovens garotas: Harriet, Elizabeth e Frances, as irmãs mais novas de Sarah Pleinsworth (pianista do Quarteto Smythe-Smith. No geral esse é um trabalho que não lhe dá muitos problemas, ela recebe uma quantia razoável para se manter e as garotas são fáceis de lidar (claro que elas aprontam um pouco, mas nada muito sério. Contudo, ao ter que substituir a lady Sarah no concerto anual da família não estava nos planos de Anne, muito menos em uma de suas obrigações de trabalho.

Sentindo extremamente atraído pela jovem, Daniel não demorou muito tempo para procurá-la. Precisava saber quem se tratava da moça que tinha despertado tantos interesses nele. E mesmo em um breve encontro, foi possível notar uma atração entre Daniel e Anne. Foi um sentimento tão forte que o homem se atreveu a roubar um beijo da mulher, precisava provar o sabor de seus lábios, saber qual era a sensação de beijá-la. E mesmo sabendo que aquele envolvimento era errado (afinal de contas ele era um conde, um membro da alta sociedade, enquanto ela não passava apenas de uma governanta sem títulos ou terras) foi impossível não retribuir.

Para tentar aproximar-se de Anne, Daniel passou a visitar a casa de sua tia com mais frequência, com o pretexto de que queria ver suas primas: Sarah, Frances, Elizabeth e Harriet. Claro que ele sentia saudades delas, afinal de contas tinha passado muito tempo longe de casa, porém qual era o problema de juntar o útil ao agradável? Aproveitar o tempo perdido na companhia de suas primas para ficar junto de Anne Wynter, a belíssima governanta.
"Não era seu momento. E não era seu mundo. Ele era um conde e ela era… Bem, era a pessoa que se obrigara a ser. Ou seja, alguém que não dava intimidade a condes, ainda mais condes com escândalos em seu passado."
Como de costume os romances da Julia Quinn segue uma receita e por mais que seja um pouco clichê, sempre acabo descobrindo algo novo a cada leitura e me divertindo com os personagens. Apesar de histórias semelhantes, sempre acaba tendo algo de extraordinário. E o que eu mais gostei de "Uma Noite Como Esta" foi conhecer um pouco mais da família Smythe-Smith, simplesmente me diverti com as primas de Daniel, cada uma com uma personalidade mais interessante do que a outra (a que eu mais gostei foi a Harriet, sua personalidade forte me lembrou a Hyacinth Bridgerton).

Outra coisa que eu achei positiva na leitura foi o plot twist em torno na vida da misteriosa Anne Wynter. Ao longo da leitura eu fui criando algumas teorias, explicações para o seu passado. Gostei do modo que a Julia Quinn desenvolveu isso, achei bem explicado e não ficou uma história absurda. Então, se você é fã de romances de época não pode deixar de ler os livros da série do Quarteto Smythe-Smith.


Título:  A Fera em Mim — A História do Príncipe da Bela
Autor(a): Serena Valentino
Editora: Universo dos Livros
Número de páginas: 192
Classificação: 5/5

Sou uma grande fã dos filmes e animações da Disney, então quando eu assisti ao vídeo do imaginago (se vocês são fãs de animações se inscrevam nesse canal, esse cara é incrível!) contando um pouco sobre a história de como o Príncipe se transformou em Fera, logo fiquei interessada. Precisava ler esse livro, conhecer de maneira mais profunda sobre todos esses acontecimentos. Sendo assim, eu comprei "A Fera em Mim" e tive a oportunidade de conhecer uma versão diferente de um dos meus clássicos favoritos da Disney: A Bela e a Fera. 
"Um príncipe amaldiçoado se isola em seu castelo. Poucos o viram, mas aqueles que conseguiram tal proeza afirmam que seus pelos são exagerados e suas garras são afiadas como as de uma fera! No entanto, o que levou esse príncipe, que já foi encantador e amado por seu povo, a se tornar um monstro tão retraído e amargo? Será que ele conseguirá encontrar o amor verdadeiro e pôr um fim à maldição que lhe foi lançada? Em A fera em mim, conheça a história por trás de um dos mais cativantes e populares contos Disney de todos os tempos- A Bela e a Fera!"
A narrativa começa com a Fera refletindo sobre a sua vida, sobre como ele se tornou naquele monstro horrendo, após ouvir a repulsa de Bela em jantar em sua companhia. Ele se recolhe na Ala Oeste do castelo, onde relembra de todos os acontecimentos: antes mesmo do lançamento do feitiço até o dia em que Bela apareceu em seu castelo.
"A transformação física era apenas uma parte da maldição. Havia muito mais, e era aterrorizante demais pensar nisso."
Desde o jovem o Príncipe tinha uma atitude bastante ríspida, além de que era obcecado com a sua beleza. Ele não sabia o que era o amor, todos os seus relacionamentos eram baseados em sua aparência, em seu título e riqueza. Porém, tudo pareceu mudar quando ele conheceu Circe, uma jovem muito atraente. Pela primeira vez em sua vida o Príncipe estava apaixonado, parecia estar amando alguém de maneira sincera.

Contudo, o casamento que era planejado nunca chegou a acontecer. Gaston, o melhor amigo do Príncipe, alertou o rapaz de que Circe não seria uma boa escolha, apesar de toda sua beleza a moça era filha de camponeses, não era alguém digna para se casar com um membro da realeza. Sendo assim, o Príncipe resolve romper o seu noivado com a jovem, demonstrando que não estava realmente apaixonado por ela, e apenas se sentia atraído por sua beleza.

O que ele não poderia esperar era que esse seu ato fosse trazer seríssimas consequências para sua vida. Circe era a caçula de 4 irmãs bruxas, ela vinha de uma família muito importante com descendia da realeza. E o término do relacionamento foi um teste em que o Príncipe foi reprovado — queriam ver se ele era capaz de amar independente de sua classe social ou de sua beleza. Sendo assim, as irmãs resolveram lhe lançar uma maldição: de que ele iria se transformar em uma fera horrenda e que o feitiço apenas poderia ser quebrado caso ele aprendesse a amar, e esse sentimento deveria ser recíproco.
"Conforme as pétalas forem caindo,os anos irão passar até seu aniversário de 21 anos.Se não tiver encontrado o amor,o verdadeiro amor,dado e retribuído,nesse dia,e o selado com um beijo,então devera permanecer como a criatura horrorosa que ira se tornar."
Para quem é fã dessa história, assim como eu, não deixe de ler "A Fera em Mim". O livro aprofunda em diversas questões de A Bela e a Fera, o que eu achei incrível! Diferente do que é mostrado no filme da Disney, a transformação do Príncipe em Fera não aconteceu em só uma noite. Foi gradual, afetando ele e seus empregados ao poucos. E ao longo da narrativa vemos algumas partes do clássico da animação, mas explorados de maneira mais profunda e pela perspectiva da Fera.


Título: Star Wars — Herdeiro do Jedi
Autor(a): Kevin Hearne
Editora: Aleph
Número de páginas: 320
Classificação: 4/5

É muito bom quando temos amigos que realmente nos conhecem, certo? Que sabem dos nossos gostos e desgostos, das coisas que gostaríamos de ganhar. O livro "Star Wars — Herdeiro do Jedi", foi um presente que eu ganhei de aniversário, de dois amigos queridos que eu tenho e que também são grandes fãs de Star Wars. E é com carinho que venho aqui resenhar este livro.
"A Guerra Civil Galáctica segue após a destruição da Estrela da Morte e Luke Skywalker se esforça para aprender mais sobre a Força sem a ajuda de Obi-Wan Kenobi – ou de fato sem nenhuma ajuda. Mas as poucas memórias que ele tem das instruções de Obi-Wan apontam a direção para um maior controle da Força, e ele é encorajado para perseguir isso por um novo amigo na Aliança. Quando Luke, R2-D2 e seu novo aliado recebem a missão de liberarem uma pessoa do Império e entregando-a em um planeta seguro onde ela pode ajudar a Aliança, a jornada deles pela galáxia é cheia de perigos – e oportunidades para Luke descobrir os mistérios da Força."
A vida de Luke Skywalker mudou bastante nos últimos tempos, de um garoto que vivia em Tatooine e que não tinha muitas expectativas em relação ao seu futuro ele se transformou em um herói por ter dado o disparo que destruiu a Estrela da Morte. Porém, nem tudo são flores e apesar de seu ao heroico a guerra está longe de chegar ao fim, e a Rebelião enfrenta alguns problemas: eles precisam de patrocinadores, armamentos e uma base fixa para continuarem lutando contra o Império.

E com o objetivo de tentar ajudar a Rebelião, Luke se propõe em fazer algumas missões para ajudá-los a conseguir as coisas que precisam.  A principal aventura é o resgate de uma das melhores criptógrafas existentes na Galáxia: Drusil. Ela era forçada a trabalhar para o Império, porém ofereceu os seus serviços a Aliança em troca de um lugar seguro para a sua família.
“Eu nunca teria pensado em emoções sombrias como sedutoras, com um objetivo de conscientemente corromper alguém. Para mim, eram emoções desencadeadas por eventos que se faziam sentir intensamente e depois desapareciam, e não estados naturais do ser. Mas Obi-Wan provavelmente sabia do que estava falando e achei que era melhor não me arriscar a ignorar o aviso do exemplo de Vader.”
Para essa missão, Luke é acompanhado por seu fiel R2-D2 e Nakari, uma atiradora de elite e filha de um importante membro do comércio intergalático. Ela se uniu a Aliança Rebelde para ajudar a galáxia a se livrar do Império. E ao longe dessa viagem, Nakari e Luke desenvolvem uma relação baseada em confiança e a amizade que os dois têm se torna uma atração mútua.

Foi interessante conhecer um pouco mais sobre Luke Skywalker, o famoso herói que ajudou a explodir a Estrela da Morte. No livro "Star Wars — Herdeiro do Jedi", o leitor acaba conhecendo um pouco mais sobre as inseguranças do rapaz — afinal de contas, como ele vai aprender mais sobre a Força já que Obi-Wan Kenobi morreu? — e os seus medos. Vemos um personagem muito humano e bem inexperiente, que também comete alguns erros. Consegui conhecer um pouco mais sobre esse personagem tão querido, sem contar que foi muito bom poder rever alguns personagens tão queridos pelo público.

Outro acerto que o livro teve foi a personagem Nakari. Ela é uma mulher forte e destemida, que me conquistou desde o primeiro momento. Também gostei da maneira que foi desenvolvida a relação dela com o Luke — não foi um romance forçado como acontece em alguns livros, os dois possuíam certa química e até que eram fofos juntos. E mesmo sendo uma personagem secundária, Nakari roubou a cena em vários momentos.


 "O capitão Salazar (Javier Bardem) é a nova pedra no sapato do capitão Jack Sparrow (Johnny Depp). Ele lidera um exército de piratas fantasmas assassinos e está disposto a matar todos os piratas existentes na face da Terra. Para escapar, Sparrow precisa encontrar o Tridente de Poseidon, que dá ao seu dono o poder de controlar o mar." 
Novamente o capitão Jack Sparrow (Johnny Depp) e sua tripulação estão vivendo uma aventura, ou melhor, estão tentando conseguir uma. A vida não está sendo nada fácil para eles. Em primeiro lugar, Jack ainda não conseguiu um jeito de libertar o Pérola Negra da garrafa de vidro (acontecimento do filme anterior, Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas). Ele e sua tripulação também não estão tendo muita sorte para fazer suas pilhagens, e justo quando parecem ter o plano perfeito que consiste em roubar um cofre seguro e cheio de dinheiro, porém, novamente, as coisas não saem do jeito que imaginavam.

Sem o Pérola e dinheiro, Jack passa por uma crise emocional. Sua falta de credibilidade é tanta que até a sua tripulação o abandona em busca de algo que renda mais dinheiro, até mesmo o seu fiel amigo Joshamee Gibbs (Kevin McNally) o deixa. Completamente sozinho, exceto pela onda de má sorte que o segue,  Sparrow acaba descontando todas suas frustrações na bebida.
Essa nova fase do pirata está bem diferente, praticamente irreconhecível. É como se os dias de glória tivessem ficado para trás. Pelo menos essa é a impressão que Henry Turner (Brenton Thwaites) acaba tendo ao conhecê-lo pelado e bêbado em uma cela da prisão.

Henry é o filho único de Elizabeth Swann (Keira Knightley) e Will Turner (Orlando Bloom). Ele está decidido a quebrar a maldição de seu pai, mas para isso precisa encontrar o Tridente de Poseidon, pois quem possuir o tridente irá ter o controle de todos os mares e será capaz de quebrar as maldições. Sendo assim, o rapaz dedicou anos de sua vida estudando todas as lendas marítimas (até mesmo em outras línguas) e está crente de que Jack Sparrow pode ajudá-lo, sendo a resposta para todos os seus problemas. Tinha ouvido histórias impressionantes sobre o pirata, mas a realidade se mostrou bem diferente do que ele estava imaginando.

Apesar de desapontado, Henry resolve ajudar Jack acreditando que juntos podem encontrar o famoso tridente. E eles também acabam contando com a ajuda de Carina Smyth (Kaya Scodelario), uma jovem astrônoma super inteligente. Tudo o que ela tem é um diário de seu pai, que ela nunca conheceu, e acredita que o amor pelas estrelas é algo que os une, sem contar que seu objetivo é conseguir ler o mapa que nenhum homem consegue ler (outra herança de seu pai, que colocava esperanças dela conseguir desvendar tal enigma).
Correndo contra o tempo Jack, sua tripulação (eles retornaram após receber uma quantia de dinheiro), Henry e Carina partem a uma aventura para tentar encontrar o Tridente. Eles precisam fugir da marinha britânica que está o seguindo, além de precisarem lidar com a ameaça de Salazar (Javier Bardem) que busca vingança contra Jack por conta do passado comum entre eles.  

E ao longo dessa aventura, eles se encontram com o capitão Hector Barbossa (Geoffrey Rush), que está disposto a ajudar. Barbossa teme o poder que Salazar pode conseguir caso consiga o Tridente de Poseidon, e para impedir isso ele está disposto a tudo. Ele é um pirata, sua vida inteira se resume ao mar, de modo que deixar essa vida para trás para viver no campo não é uma opção para Barbossa. 

Sou uma grande fã de Piratas do Caribe, então quando fiquei sabendo que iriam lançar outro filme para a franquia não pude deixar de me sentir animada. E devo dizer que "Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar" acabou superando as minhas expectativas. Tinha medo de ficar algo maçante, afinal de contas não é fácil fazer sequencias para um filme, nem sempre acabam sendo tão bom como o original. A franquia começou em 2003  com "Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra" e manter a qualidade e despertar o interesse do público em todos os filmes é difícil.

Nesse novo filme vemos uma nova fase de Jack Sparrow, que pode causar certa estranheza na maioria. Ficando bêbado durante muitas cenas, parece que ele está sem ambições, que deixou para trás aquele pirata incrível que costumava a ser. Contudo, apesar disso, ele ainda continua tendo uma mente geniosa como há anos atrás e o seu talento para fazer inimigos e se meter em confusão não mudou. E ao longo do filme vemos o personagem voltando a ser quem era.

Outra coisa que eu gostei no filme foi o fato de terem explorado um pouco do passado do Jack, mostrando a sua juventude e como conseguiu ganhar o apelido "Sparrow". Também descobrimos algumas informações a respeito do capitão Barbossa. E o melhor de tudo ficou guardado para o final: um reencontro entre a
Elizabeth Swann o e Will Turner. A sensação que eu tive assistir "Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar" era de que um ciclo estava se fechado, eu me emocionei bastante.

Ficha Técnica
  • Título: Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar
  • Duração: 2h 09min
  • Direção: Joachim Rønning, Espen Sandberg
  • Gêneros: Aventura, Fantasia, Ação
  • Elenco: Johnny Depp, Javier Bardem, Brenton Thwaites, Kaya Scodelario, Orlando Bloom, Geoffrey Rush, Kevin McNally, Golshifteh Farahani

Curiosidades:
  • Primeira vez que Hans Zimmer não compõe a trilha sonora do filme. Geoff Zanelli assumirá sua missão. 
  • A princípio, o título do filme seria Piratas do Caribe 5: Os Mortos Não Contam Histórias (Dead men tell no tales). 
  • Johnny Depp, Geoffrey Rush e Kevin McNally apareceram em todos os outros filmes da saga. 
  • Christoph Waltz foi considerado para o papel do capitão Brand, mas precisou recursar a proposta. Em seu lugar ficou Javier Bardem, mas o nome do personagem foi trocado para capitão Salazar. 
  • Orlando Bloom e Adam Brown trabalharam juntos em O Hobbit: A Desolação de Smaug (2013) e O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (2014). Já Johnny Depp e Javier Bardem aparecem em Antes do Anoitecer (2000). 


"Cal Weaver (Steve Carell) tem quarenta e poucos anos e leva uma vida perfeita, com um bom emprego, filhos e um casamento com a namorada do colégio, Emily (Julianne Moore). Até que, ao descobrir que Emily o está traindo e quer o divórcio, sua vida desaba por completo. Forçado a voltar ao mundo dos solteiros, ele enfrenta as dificuldades habituais de quem não sabe mais como se portar para se aproximar de uma mulher. É quando entra em cena Jacob Palmer (Ryan Gosling), um amigo que passa a lhe dar algumas dicas."
Todo relacionamento passa por algum tipo de crise ou dificuldade, certo? O único problema é que dessa vez Cal Weaver (Steve Carell) parece não conseguir impedir a sua esposa Emily (Julianne Moore) de pedir o divórcio, ainda mais depois de descobrir que ela tinha o traído. A separação parece inevitável para eles. O casal têm três filhos, os dois caçulas, passam a viver com a rotina de guarda compartilhada: uma hora passam um tempo com a mãe, e em outra ficam na casa de seu pai.

Depois de vinte e cinco anos de casamento, anos ao lado da mesma mulher, Cal estranha um pouco a vida de solteiro. Apesar de amar muito sua esposa, o divórcio parece ter sido definitivo, de modo que ele começa a tentar sair com outras pessoas e começa a conhecer um pouco dos prazeres da vida de solteiro. O único problema é que se tratando de mulheres, Cal parece não levar jeito para sair com elas. E é nesse momento de sua vida que ele conhece Jacob Palmer (Ryan Gosling), um verdadeiro conquistador que sabe o que fazer para conseguir seduzir uma mulher.

Após conhecer um pouco da história de Cal, Jacob decide ajudá-lo e começa dando uma repaginada em seu visual. Cal larga as roupas confortáveis, os jeans enorme e os tênis esfarrapados por um visual mais elegante, porém apenas a mudança de roupa não é o suficiente. Cal precisa aprender ter uma atitude, além de como conversar com uma mulher e fazê-la se interessar por ele. É Jacob que ensina tudo para ele, tudo o que ele precisa saber. E de um homem que não sabia o que fazer após a mulher ter o deixado, Cal se transforma em verdadeiro conquistador, e com as dicas e aprendizados que recebeu ele começa a se envolver com diversas mulheres. Se trata de um breve caso, uma espécie de one night stand, e ele não aparenta ligar para os sentimento de cada uma dessas mulheres com quem se envolve, Cal apenas está aproveitando a vida, tirando todo o atraso por ser ficado tantos anos com apenas uma só mulher.

Paralelamente, em uma noite de suas várias conquistas, Jacob conhece Hannah (Emma Stone), uma futura advogada e que não parece ter interesse em se envolver com o homem, afinal de contas elas tinha um relacionamento estável e estada feliz. Tudo bem que o seu namorado não era o homem mais emocionante do mundo, mas, mesmo assim ela estava feliz ao lado dele, ou era isso o que pensava. Porém, tudo muda quando ela acaba se decepcionando com seu namorado.
Em um momento de grande impulsividade e loucura, motivado pelas grandes doses de álcool que tinha tomado, Hannah vai até o bar onde tinha conhecido Jacob na esperança de encontrá-lo. O seu objetivo com ele era apenas transar e nada mais, estava bêbada o suficiente para fazer aquilo, sem contar com a decepção que estava sentindo por conta de seu ex-namorado. Depois de algumas doses de bebida, uma dança ao som de "Time Of My Life" (sim, eles estavam imitando uma cena de Dirty Dancing'!) a noite deles acaba tornando um rumo surpreendente. Com várias risadas, Hannah e Jacob se envolvem em uma conversa divertida e profunda.

É um pouco clichê dizer isso, mas Hannah foi a pessoa responsável pela mudança de Jacob. Antes ele era um verdadeiro sedutor, quando olhava para algum casal a única coisa em que conseguia pensar era quão patético era aquilo. Contudo, após a entrada de Hannah em sua vida ele começou a perceber que queria aquilo, que queria uma oportunidade de amar. E com essa mudança de atitude, Jacob se afasta de Cal, uma vez que ele não tem mais interesse de ir ao bar apenas para seduzir as mulheres, ele finalmente tinha encontrado alguém de quem realmente gostava.

Com esse novo comportamento de seu amigo e uma confusão em uma festa familiar, Cal percebe que ainda tem tempo de lutar pelo amor de sua mulher e de seus filhos.
"Amor a Toda Prova" é um desses típicos filmes de comédias românticas, e com os clichês que todo mundo ama. Inicialmente tive um pouco de dúvida sobre como todas essas histórias iriam se unir, até criei algumas teorias (eu errei feio, mas pelo menos estava pensando no caminho certo), e achei genial o modo que encontraram para unir todos esses personagens.

E como uma grande fã do Ryan Gosling (que homem, desde essa época ele já era maravilhoso) e da Emma Stone, gostei de poder ver o primeiro trabalho dos dois juntos no cinema, até me lembrei dos dois em La La Land dando vida ao Sebastian e à Mia. Foi legar ver como os dois amadureceram e melhoraram a atuação e que até hoje eles possuem uma grande química.

Ficha Técnica

  • Título: Amor a Toda Prova 
  • Direção: John Requa, Glenn Ficarra
  • Duração: 1h58min
  • Gênero: Comédia, Romance
  • Elenco: Steve Carell, Ryan Gosling, Julianne Moore, Emma Stone, Analeigh Tipton, Jonah Bobo, Joey King e Marisa Tomei

Curiosidades:

  • Amor a Toda Prova é o 2º filme dos diretores Glenn Ficarra e John Requa. O anterior foi O Golpista do Ano (2010).
  • A turma do personagem Robbie está estudando o livro "The Scarlet Letter". Este romance serviu de base para o filme anterior de Emma Stone, A Mentira (2010).
  • Os produtores do filme ofereceram prêmios para quem conseguisse criar um bom título para o longa.
  • Segundo filme de Kevin Bacon como um antagonista de um ator da série The Office. O primeiro foi Super (2010), estrelado por Rainn Wilson.


"Tom Hansen (Joseph Gordon-Levitt) está em uma reunião com seu chefe, Vance (Clark Gregg), quando ele apresenta sua nova assistente, Summer Finn (Zooey Deschanel). Tom logo fica impressionado com sua beleza, o que faz com que tente, nas duas semanas seguintes, realizar algum tipo de contato. Sua grande chance surge quando seu melhor amigo o convida a ir em um karaokê, onde os colegas de trabalho costumam ir. Lá Tom encontra Summer. Eles também cantam e conversam sobre o amor, dando início a um relacionamento."
Quando criança Tom Hansen (Joseph Gordon-Levitt) acreditava em coisas como alma gêmea, destino, amor verdadeiro e no "felizes para sempre". E mesmo adulto ele ainda colocava fé em suas crenças, enquanto aguardava ansiosamente pelo dia em que a sua "the one" iria aparecer. Era apenas uma questão de tempo. E quando ele coloca os olhos em Summer Finn (Zooey Deschanel), durante uma reunião de trabalho, ele está quase certo de que ela é a mulher certa para ele, a pessoa pela qual ele estava buscando durante toda sua vida.

Contudo, Summer era o oposto de Tom. Como seus pais tinham se separado quando era apenas uma criança, ela nunca acreditou nessa história de encontrar o amor verdadeiro, muito menos que as coisas acontecem por conta do destino. Nesse sentindo ela podia ser considerada como alguém bem cética. De qualquer modo, Summer podia ser considerado como um verdadeiro espírito livre, fazendo o que bem entendesse.
Demora alguns dias para que Tom consiga se aproximar da mulher, e não demora para descobrir que os dois possuem gostos bem parecidos. Isso é o suficiente para convencê-lo de que Summer é sua alma gêmea, a mulher ideal para ele. Dessa forma, Tom bola passo a passo como irá fazer para conquistar Summer, e mesmo que os dois  funcionem durante um tempo não há garantias de que eles possam dar certo a longo prazo, pois existem grandes diferenças entre os dois. Enquanto Tom sonha com um relacionamento sério, Summer não está à procura de um namoro.

Já tinha ouvi falar bastante do filme, de modo que estava com grandes expectativas em relação ao (500) Dias com Ela. Desde o início fica claro que não se trata de uma história de amor, que não tem um final "feliz", pelo menos não para Summer e Tom como casal. Apesar de terem gostos parecidos, eles possuem objetivos diferentes o que dificulta o relacionamento. A história do filme é como a vida, nem sempre duas pessoas que gostam das mesmas coisas estão destinadas a ficarem juntas.

Ao longo da trama acabei ficando profundamente irritada com o Tom, ele não consegue aceitar o fato de Summer não querer ficar com ele. Antes do término ele vivia citando todas as qualidades que adorava nela: o seu modo de pensar,  seu sorriso, a marca de nascença em formato de coração em seu pescoço, a risada dela... Porém, após o término tudo que ele amava nela passou a ser completamente irritante e defeituoso. Ele passa dias se lamentando e chorando, definitivamente, estava no fundo do poço. É como se ele não conseguisse superar o fato de que Summer não o amava, que não queria ter nada sério com ele — desde o início ela sempre deixou claro que eles apenas estavam ficando, de que não tinham nada sério ou duradouro entre eles.
E o tempo que eles passaram juntos foi narrado pela visão de Tom, sem seguir uma ordem cronológica certa, se alternando entre momentos bons e ruins. E mesmo que não tenham terminado juntos, tanto Summer quando Tom conseguiram correr atrás de sua própria felicidade. Ela seguiu com a sua própria vida, enquanto ele largou o seu emprego para poder se dedicar à sua verdadeira paixão: arquitetura.

Uma coisa que eu gostei de "(500) Dias com Ela", é que o filme está longe de clichês. Ele foge da ideia de que para um final feliz o casal deve terminar junto, muito pelo contrário. Tanto é que Summer e Tom conseguiram encontrar a felicidade, o que procurava, quando estavam separados. A fotografia e a trilha sonora também foram impecáveis!

E outra coisa que eu reparei é que muitas pessoas não gostam da Summer pelo fato dela não ter ficado com o Tom, por fazê-lo sofrer por amor. Eu discordo disso, pois ela não tinha nenhuma obrigação de amá-lo na mesma intensidade em que era amada, ela não era obrigada a ficar com o Tom apenas para que ele ficasse feliz, sem contar que desde o início ela sempre foi bem clara com as suas intenções.

Ficha Técnica

  • Título: (500) Dias com Ela
  • Direção: Marc Webb
  • Duração: 1h36min
  • Gênero: Comédia, Romance, Drama
  • Elenco: Joseph Gordon-Levitt, Zooey Deschanel, Geoffrey Arend, Chloë Grace Moretz, Clark Gregg, Minka Kelly, Rachel Boston e Patricia Belcher       

Curiosidades:

  • Originalmente, os personagens do filme viveriam na cidade de São Francisco.
  • Este é o 2º filme em que Joseph Gordon-Levitt e Zooey Deschanel atuam juntos. O anterior foi Maníaco (2001).
  • A cor azul foi escolhida para a composição do filme para destacar os olhos de Zooey Deschanel.
  • As telas que apresentam a contagem dos dias do relacionamento de Summer e Tom evidenciam a situação do casal. Nos dias em que tudo está bem, as cores são mais claras, e, quando os dias estão ruins, as cores ficam mais escuras
  • Uma cópia do primeiro álbum lançado por Morrisey, "Viva Hate", pode ser visto nos quartos de infância de Tom e Summer.


"Agora já conhecidos como os Guardiões da Galáxia, os guerreiros viajam ao longo do cosmos e lutam para manter sua nova família unida. Enquanto isso tentam desvendar os mistérios da verdadeira paternidade de Peter Quill (Chris Pratt)."
Depois de salvarem o universo a equipe dos Guardiões da Galáxias se tornou bastante conhecida, de maneira que eles começaram a ser pagos para prestarem determinados serviços. Viajando pelo espaço, fazendo o seu trabalho e se metendo em algumas confusões eles continuam se esforçando para manter a família unida. Porém, tudo pode virar de cabeça para baixo após sua última missão já que Rocket (Bradley Cooper) roubou um item extremamente valioso.

De salvadores eles se tornam fugitivos, até mesmo se estabelece uma recompensa pela cabeça de cada um. E como se a situação não pudesse piorar ainda mais, além de estarem sendo alvos para os caçadores de recompensa os Guardiões da Galáxia tem de lidar com a nave quebrada após um confronto que quase resultou na morte deles. Além de se preocuparem com alguém tentando os matar, eles também precisam consertar a nave que está aos pedaços.

A situação é tão caótica que os membros da equipe começam brigar entre si, culpando uns aos outros pelo problema em que se encontram. Contudo, eles são interrompidos pela chegada de um homem misterioso chamado Ego (Kurt Russell), que revela ser o pai do Peter/Star-Lord (Chris Pratt). Desconfiados da palavra do homem a equipe resolve se dividir: Peter, Gamora (Zoe Saldana) e Drax (Dave Bautista) partem junto de Ego, deixando Rocket e Groot (Vin Diesel) responsáveis por consertar a nave que está aos pedaços.
Durante sua vida inteira, Peter sempre teve dúvidas a respeito de seu pai, afinal de contas ele nunca tinha o conhecido e costumava a dizer para as pessoas que ele era um astro famoso. Uma figura paterna sempre fez falta em sua vida, e poder conviver ao lado de Ego até que não parece ser uma má ideia. O homem tem planeta enorme e muito bonito, sem contar que é a oportunidade perfeita para desenvolverem um pouco da conexão entre pai e filho, recuperarem o tempo em que passaram separados. Porém, nem tudo é tão perfeito como aparenta o que pode colocar a vida de Peter, de seus amigos e da galáxia inteira em perigo.

O que falar desse filme absolutamente incrível? Primeiro queria abordar a questão da trilha sonora, pois ela demais! As músicas dão vontade de dançar, sem contar que combinam com as cenas. Tanto o primeiro filme quanto esse tem uma ótima trilha sonora, a melhor de todas na minha opinião. Você sai do cinema cantando algumas das músicas de tão boas que são!

Outra coisa que eu gostei de ver nesse filme foi ver a relação entre Ego e Peter, como pai e filho se relacionaram. Além disso, também foi trabalhada a relação entre as irmãs Gamora e Nebula (Karen Gillan), explorando a relação do passado delas. Percebemos que Nebula não é uma psicopata completa, os abusos de seu passado a tornaram dessa maneira, mas ela também é capaz de fazer alguns atos gentis. Gostei da maneira que aprofundaram no passado de alguns personagens, isso ajudou a responder muitas das dúvidas que eu tinha.
Outro personagem que se mostrou diferente foi o Yondu (Michael Rooker). Acredito que muitas pessoas ficaram com a imagem de que ele não era um cara muito legal, afinal de contas quem sequestra uma criança e a faz trabalhar junto dos caçadores de recompensas, arriscando a sua vida? Definitivamente não parece uma pessoa muito legal. Porém, em "Guardiões da Galáxia Vol.2" as ações de Yondu são explicadas, sem contar que ele se redime de todos os seus erros ajudando a salvar a galáxia. Também é criada uma forte conexão entre Yondu e o Rocket, apesar deles gritarem, não serem as pessoas mais amigáveis de suas equipes, mas no final as pessoas sempre vão se importar com eles e vão estar por perto. Os dois têm mais em comum do que aparentam.

E eu não poderia deixar de comentar do Groot, ou melhor, do Baby Groot. Ele estava uma fofura e protagonizou alguns dos momentos mais engraçados do filme. Com o seu jeito inocente, a leve dificuldade para entender as coisas, o Groot ajuda a equipe de sua própria maneira, além de receber muitos cuidados por parte de todos.

Enfim, "Guardiões da Galáxia Vol.2" é ótimo como o "Guardiões da Galáxia Vol.1". As cenas de ação são dinâmicas, têm muitos momentos de humor, os efeitos especiais são muito bons (o planeta Ego nem se fala, ficou absolutamente incrível) e ainda explorou o passado de diversos personagens, aprofundando a relação entre eles. Foi um filme que acabou superando as minhas expectativas, e eu adorei ver a Karen Gillan atuando no papel de Nebula (mesmo azul, careca e meio psicopata ela ainda continua sendo um amor, mas não se compara a personagem dela em "Doctor Who": a Amy Pond), sendo uma grande fã da atriz percebo que ela vem amadurecendo cada vez mais em suas atuações.
Ficha Técnica
  • Título: Guardiões da Galáxia Vol.2
  • Direção: James Gunn (II)
  • Duração: 2h16min
  • Gênero: Ação, Ficção científica, Comédia
  • Elenco: Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Vin Diesel, Bradley Cooper, Michael Rooker, Karen Gillan, Pom Klementieff, Sylvester Stallone, Kurt Russell, Elizabeth Debicki, Chris Sullivan, Sean Gunn, Tommy Flanagan, Laura Haddock

Curiosidades:
  • James Gunn e Kevin Feige queriam convidar David Bowie para fazer uma participação especial no filme, mas, infelizmente, o artista faleceu em janeiro de 2016.
  • Chris Pratt revelou que o script do filme o ajudou a aceitar a morte do seu pai.
  • Vin Diesel, que no primeiro filme apenas dublou o Groot, agora também participou da captura de movimento para o personagem.
  • Segundo Karen Gillan, é possível que o público crie mais simpatia em relação à Nebul. A atriz afirmou que o filme irá abordar os problemas que a personagem possui com o pai, além de aprofundar a relação dela com a irmã Gamora.
  • O último filme da Disney e de super-herói feito por Kurt Russell foi Super Escola de Heróis (2005).