Título: Pó de Lua
Autor(a): Clarice Freire
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 192
Classificação: 4/5

Nas férias de julho desse ano eu tinha um objetivo: colocar em dia a leitura dos livros que eu tenho guardados na minha estante, e assim eu fiz. Li alguns livros que tinha ganhado no meu aniversário, e outros ainda mais antigos que tinha comprado ainda em 2015. E entre todos os livros que eu li, um deles era o "Pó de Lua" da Clarice Freire, e como achei ele um verdadeiro amorzinho resolvi que precisava escrever uma resenha dele aqui no blog.
"Em 2011, discretamente, a publicitária Clarice Freire criou no Facebook uma página para reunir seus escritos e desenhos. Batizou-a como 'Pó de Lua', sua receita infalível 'para tirar a gravidade das coisas'. Desde então, ela vem conquistando uma legião de fãs fiéis e engajados, que se encantaram com a delicadeza de seus pensamentos, seu humor sutil e o traço despretensioso, que combina desenho e até fragmentos de palavras. Entre eles, estão personalidades como a atriz Grazi Massafera e a apresentadora Ticiane Pinheiro. Da internet para as páginas de um livro, foi mais um salto para a jovem autora recifense. Ela surpreende seus admiradores com uma proposta diferente. Pó de lua, o livro, tem o formato de um dos cadernos moleskine em que Clarice exercita sua criatividade. Inspirada pelas quatro fases da lua - minguante, nova, crescente e cheia - ela trata em frases concisas e certeiras de sentimentos como a saudade, o medo, a paixão e a alegria, sempre em sua caligrafia característica, ilustradas com muitos desenhos."
Uma obra reflexiva e linda, no formato de um caderno moleskine é onde a publicitária Clarice Freire exercita a sua criatividade através de seus poemas, as brincadeiras com as palavras e lindos desenhos. É assim que se apresenta o livro, que é dividido em 4 partes, assim como as 4 fases da lua: minguante, nova, crescente e cheia.
Lua Minguante  
"Não vivo de PASSADO,
mas confesso que ele passe por mim
um tanto mais que o ESPERADO."
Os poemas dessa fase do livro abordam alguns temas diretamente relacionados com o passado; do tempo que às vezes passa rapidamente como num piscar de olhos, já em outras ele arrasta para se passar; da saudade que sentimos de algumas pessoas. Chega a ser tocante o poema que ela escreve para falar sobre o Vô Jaime, com certo chame ela deixa claro o seu amor e a importância por ele.
Lua Nova
"A LUA NOVA se contradiz
ESCONDIDA, ENCOLHIDA,
Fala a voz muda
Que não se DIZ."
Nos poemas dessa parte do livro é possível perceber uma grande leveza, maior até do que das outras partes, como se realmente estivesse tirando um pouco da gravidade de todas as coisas. É possível perceber que nessa parte do livro as brincadeiras semânticas acabam sendo maiores, trazendo um ar maior de graça.
Lua Crescente
"Vivia se perguntando se LUZIA ou ESCURECIA
Não assimilava bem quem era,
Porque metade ACENDIA
e a outra não se VIA"
Assim como a lua vai crescendo, a simpatia do livro também cresce com o decorrer da leitura. Os poemas dessa parte abordam muito a questão do ser, de como crescer pode dar um pouco de medo por se tratar de algo indefinido, além das dúvidas e o receio de deixar algumas coisas para trás. É uma parte fácil de se identificar, pois todos nós já passamos por momentos de indecisão, dúvidas e receio a medida que crescemos.
Lua Cheia
"Eu admiro a LUA CHEIA.
Ela não incendeia a noite por si ,
Mas festeja o belo de ser
REFLEXO DE AREIA
Lampejando a ESCURIDÃO mesmo sendo
APENAS PÓ."
Chegamos à última fase da lua, na última parte do livro e é como se um ciclo estivesse terminando. Nesses poemas, Clarice fala muito sobre a liberdade, a leveza — que não está presente somente nessa parte, assim em como todas as anteriores do livro. A leveza é algo sempre constante em todos os poemas da obra —, a liberdade e sobre como é importante conhecer e reconhecer toda beleza e simplicidade da vida.
Leveza. Encantador. Incrível. Simples. São muitas palavras que posso usar para definir "Pó de Lua", e a experiência sobre como foi a leitura. É um livro cheio de brincadeiras com as palavras, uma leitura rápida e tranquila acompanhada com desenhos que complementam e que dão um maior sentido para os poemas. Não posso ser a maior fã do gênero de poesias, mas é certeiro o fato de que fiquei completamente encantada com esse livro e no final tive a sensação de que havia diminuído um pouco da gravidade das coisas, uma sensação de leveza e de relaxamento na minha vida como um todo.


3 Comentários

  1. Oi! Eu acho esse livro tããão lindo *---* Eu sigo a Clarice Freire e admiro muuito essas ilustrações poéticas que ela faz. Ainda não tenho o livro, mas tá na minha lista <3
    Adorei a resenha e as fotos, parabéns!
    Beijos.
    persuasaoliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um verdadeiro amorzinho de tão lindinho que é <3 fiquei completamente apaixonada com os poemas e as lindas ilustrações que compõe o livro. Pode comprar pu pegar emprestado o "Pó de Lua", pois vale a pena ler esse livro!
      Fico feliz que tenha gostado da resenha e das fotos (consegui me virar tendo apenas um celular em mãos hahaha)
      Bjs e volte sempre aqui no blog!

      Excluir
  2. Que fofo😍😍
    Agora fiquei morrendo de vontade de ler ele😍❤❤❤❤💘

    ResponderExcluir