Título: Ligue os Pontos — Poemas de Amor e Big Bang
Autor(a): Gregorio Duvivier
Editora: Companhia das letras
Número de páginas: 88
Classificação: 5/5

Para quem acompanha o blog há algum tempo já não deve ser nenhuma novidade ver mais uma resenha de um livro do Gregorio, afinal de contas sempre acabo deixando bastante evidente que sou uma grande fã dele e de seu trabalho. Eu o considero como um grande escritor, sendo assim resolvi me aventurar nos livros de poema dele apesar de eu não ser muito fã de poesias.  "Ligue os Pontos — Poemas de Amor e Big Bang" não é somente especial por se tratar de uma obra de um dos meus autores favoritos, ou por ser um livro que me obrigou a sair da minha zona de conforto, esse livro tem um significado especial para mim, pois foi um presente de uma pessoa muito especial na minha vida — Arthur, obrigada por viver me surpreendendo. Meus dias não seriam os mesmos sem você. Até hoje eu não sei como essa pessoa conseguiu achar um exemplar desse livro, afinal de contas passei mais de dois meses procurando por ele e não tive nenhum resultado! Suspeito que ele tenha usado Magia das Trevas ou quem sabe ele foi para o Dark Side... mas independente de qual tenha sido a maneira que ele arranjou esse livro, a única coisa que importa no momento é que eu vou escrever uma resenha dele!
"Com mais de 400 milhões de visualizações em pouco mais de um ano, os vídeos do coletivo Porta dos Fundos transformaram a maneira de fazer rir no Brasil. Um dos maiores responsáveis por esse sucesso é sem dúvida o ator e roteirista Gregorio Duvivier, que tem revelado grande habilidade em transformar a tragicomédia da vida contemporânea numa provocativa salada de gags que misturam absurdo e realidade. Ligue os pontos mostra que, para além da prosa humorística, o tratamento lúdico das palavras pode render poesia de qualidade. Refinada no curso de Letras da PUC-Rio - e elogiada por autoridades como Millôr Fernandes, Paulo Henriques Britto e Ferreira Gullar -, a escrita poética de Duvivier tem foco na importância descomunal dos momentos insignificantes do cotidiano. Flashes pungentes e irônicos da adolescência - o autor é um expoente da 'geração do bug do milênio' -, o mistério da criação, as palavras e suas relações inusitadas, a experiência do amor vivido enfim como gente grande, a transitoriedade de tudo - tendo a geografia sentimental do Rio de Janeiro como pano de fundo, a constelação de poemas de 'Ligue os Pontos' revela uma dicção marcadamente individual, que flerta, contudo, com o melhor da tradição carioca nonchalante, e extrai do dia a dia compartilhado imagens de desconcertante beleza."
O livro é dividido em duas partes: Cartografia afetiva e Aprender a gostar muito. A primeira parte reúne uma coletânea de poesias que apresentam como tema central o Rio de Janeiro, nesses poemas o Gregorio fala de algumas de suas lembranças que viveu na cidade. São textos mais objetivos — se comparados com os poemas da segunda parte — e observadores, abordando diversos lugares da Cidade Maravilhosa: as avenidas famosas, bairros e cartões-postais. Também faz brincadeiras envolvendo alguns pontos turísticos, como Copacabana e Urca.

Já a segunda parte os poemas são mais subjetivos com um tom mais reflexivo e sensível, Gregorio fala sobre o amor, a vida e o universo. Ele faz pequenas declarações de amor, trocadilhos com as palavras e questionamento sobre o mundo.
"enquanto você dormia liguei
os pontos sardentos das suas
costas na esperança de que
a caneta esferográfica revelasse
a imagem de algum ser mitológico
de nome proparoxítono o mapa
detalhado de algum tesouro
submerso formasse quem sabe
alguma constelação ruiva oculta
na epiderme e me deparei
com o contorno de um polígono
arbitrário que não me fornecia
metáforas não apontava direções
simplesmente dizia: você está aqui"
Por se tratar de um livro pequeno a leitura dele é extremamente rápida e fácil, mas ao mesmo tempo se trata de uma obra que deve ser apreciada cuidadosamente por apresentar algumas reflexões, afinal de contas por se tratar de um texto do Duvivier sempre têm aquela piadinha básica ou uma pequena crítica, artimanhas que já se tornaram marcas registradas de suas obras.

Eu me surpreendi com a leitura de "Ligue os Pontos — Poemas de Amor e Big Bang", não esperava gostar dele o tanto que gostei. Os poemas desse livro são corriqueiros, falam sobre os assuntos do cotidiano de uma maneira totalmente sensível. São poemas bem diferentes dos que eu costumava a ler nas aulas de Literatura — nada contra os outros poetas —, eles não tem a linguagem extremamente rebuscada e não obedece a ordem das rimas. Esse é um livro que eu li e reli várias vezes e até hoje não me cansei, pois se trata de uma atividade bem gostosa.

Para as pessoas que gostam de poemas esse é um livro que não deve faltar na estante, e até mesmo as pessoas que não gostam tanto assim de poemas (como eu) deveriam sair um pouco da zona de conforto e experimentar algo novo, afinal de contas se trata de uma leitura fácil, rápida e extremamente prazerosa. Então, se você já leu o livro não deixe de comentar aqui no blog o que você achou dele, e se você ficou interessado em ler também não deixe de comentar!


Deixe um comentário