Título: Todo Dia
Autor(a): David Levithan
Editora: Galera Record
Número de páginas: 280
Classificação: 5/5
Depois da minha experiência positiva lendo "Garoto Encontra Garoto" do David Levithan, eu resolvi embarcar na leitura de "Todo Dia", pois eu gostei do modo de escrever do autor, a temática da história me agradou e muito por ser bem original, sem contar que foi um livro que minhas antigas parceiras me indicaram. E depois de meses enrolando para escrever essa resenha, finalmente, aqui está ela!
"Todo Dia - Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor."
Narrado em primeira pessoa o livro "Todo Dia", conta a história de "A", um personagem que, na minha opinião, pode ser considerado como um pouco enigmático e único em todos os sentidos. "A" não possui gênero, sonhos e nem família, "A" está mais para um tipo de andarilho. Todos os dias ele acorda em um corpo completamente diferente e isso é um motivo que não se sabe explicar, desde quando era bebê "A" passava por essas mudanças e achava completamente normal o fato de uma pessoa ter pais, babás e até mesmo o sexo diferente todos os dias, porém chegou um momento em que percebeu que ele esse fenômeno apenas acontecia com ele. Sendo assim, depois de tanto tempo trocando de corpos "A" já está acostumado com a vida que leva e sempre faz o possível para agir  como se nada de errado estivesse acontecendo com seu hospedeiro para não levantar a desconfiança de outras pessoas, é como se fosse mais um dia comum.

E em uma manhã "A" acaba acordando no corpo de Justin, um jovem do tipo que parece causar problemas, introspectivo e que namora Rhiannon. O relacionamento dos dois está longe de ser um dos melhores, afinal Justin não parece se importar muito com a namorada sendo raro demonstrar alguma reação de afeto por ela. Já por outro lado Rhiannon o ama muito, ou pelo menos acredita que ama. Ver essa situação fez com que "A" resolvesse interferir um pouco na vida de seu atual hospedeiro, algo que ele é totalmente contra. Mas junto de Rhiannon tudo parece ser diferente, sendo assim "A" resolveu fazer com que aquele dia acabasse sendo o melhor na memória de ambos.
"Todo dia sou uma pessoa diferente. Eu sou eu, sei que sou eu, mas também sou outra pessoa. Sempre foi assim."
Depois dessa sua experiência no corpo de Justin e tendo aproveitando a tarde junto de Rhiannon, ele começa a desejar poder ter mais tempo no corpo de seu hospedeiro para simplesmente poder vê-la novamente, ouvir o som de sua voz. Ter uma vida junto dela era algo provavelmente impossível, devido à condição de vida que "A" leva, mas isso não o impede de tentar. Sendo assim, mesmo trocando de hospedeiro dia após dia ele tenta fazer o possível para poder manter o contato com Rhiannon, e de longe isso está longe de ser uma tarefa fácil, principalmente fazê-la entender a sua condição e acreditar nisso.
"Ontem eu era uma garota numa cidade que, imagino, fica há duas horas daqui. No dia anterior, era um garoto numa cidade a três horas de distância. Já estou me esquecendo dos detalhes deles. Tenho que esquecer; caso contrário, nunca vou me lembrar de quem sou realmente." 
"Todo Dia" é muito mais do que um simples livro que tem uma temática pra lá de original, na verdade, é algo muito mais profundo do que realmente aparenta devido o modo de vida que o personagem principal leva o leitor acaba tendo uma verdadeira reflexão. O livro trabalha com a concepção de se apaixonar por alguém pelo o que a pessoa é, a sua essência, e não pelo simples fato de ser homem ou mulher. A história narrada é linda e emocionante, talvez o final não seja o que você está esperando, mas mesmo assim essa é uma leitura que eu recomendo para todas as pessoas.


6 Comentários

  1. Que máximo! Adorei a resenha. Vou super procurar esse livro na biblioteca, porque eu simplesmente PRECISO ler ele! Diferente de tudo que eu já li.

    A sua resenha também está ótima! Parabéns!

    http://contosetrocados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale muito a pena lçr esse livro, assim como os outros do David!
      E fico feliz que você tenha gostado da resenha :)
      Bjs e volte sempre aqui no blog!

      Excluir
  2. Oi Bru, tudo bom?
    Fiquei encantada com a sua resenha! Já li o livro e tinha tirado varias reflexões dele, mas nunca tinha parado para pensar que o que Levithan quer nos mostrar é que o que importa é a essência e não o gênero. Obrigada por me fazer perceber isso.
    Também já li Garoto encontra Garoto e amei.
    Beijos!
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estou bem, e você Jéssica?
      E não precisa agradecer por isso :)
      Bjs e volte sempre aqui no blog!

      Excluir
  3. Oi!

    Nunca li nada do autor, ainda! Já li várias resenhas desse livro e tenho ele aqui na minha lista. Espero conseguir le-lo ainda esse ano.
    Adorei a resenha!

    Beijos!

    Cintia
    http://www.theniceage.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza de que você vai acabar gostando muito da escrita do David, o modo que ele consegue desenrolar a história é muito bom, mas o que eu mais gosto nos livros dele é que ele aborda algumas minorias que não são muito comuns de ser ver no universo literário.
      Bjs e volte sempre aqui no blog!

      Excluir