Título: Quase Uma Rockstar
Autor(a): Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 256
Classificação: 5/5
É com convicção que posso falar que me tornei uma grande fã do Matthew Quick e de seus livros há algum tempo, sendo assim toda vez que tenho dinheiro e oportunidade eu faço questão de comprar um livro dele. E depois de alguns meses enrolando, finalmente, aqui está à resenha "Quase Uma Rockstar", que consegue ser tão perfeito, na verdade, melhor do que as outras obras do mesmo autor uma vez que a leitura acabou superando as minhas expectativas e me surpreendendo.
"Quase Uma Rockstar - Desde que o namorado da mãe as expulsou de casa, Amber Appleton, a mãe e o cachorro moram em um ônibus escolar. Aos dezessete anos e no segundo ano do ensino médio, Amber se autoproclama princesa da esperança e é dona de um otimismo incansável, mas quando uma tragédia faz seu mundo desabar por completo, ela não consegue mais enxergar a vida com os mesmos olhos. Será que no meio de tanta tristeza e sofrimento Amber vai recuperar a fé na vida? Com personagens cativantes e uma protagonista apaixonante, Matthew Quick constrói de forma encantadora um universo de risadas, lealdade e esperança conquistada a duras penas."
Narrado em primeira pessoa o livro começa mostrando um pouco sobre a vida complicada que a jovem Amber Appleton leva, mas mesmo assim ainda sorri constantemente e não deixa que os problemas afetem sua vida. A garota mora junto de sua mãe e de seu cachorro Bobby Big Boy (BBB), em um ônibus escolar (o Amarelão) depois de terem sido expulsas da casa do ex-namorado da mãe. Sem dúvida Amber leva uma vida difícil, mas para isso acaba contando com a ajuda de algumas pessoas bem importantes em sua vida: os seus meninos, o Padre Chee juntamente das Divas Coreanas e também a Donna Soldado Jackson (SJ), que sempre lhe dá comida e ajuda com alguns dos cuidados do BBB.
"Talvez eu seja bizarra — mas sou uma bizarra esperançosa, e tem coisa pior no mundo para ser.
Não é? Pois é.
Eu espalho esperança.
Sou uma espalhadora de esperança.
Acho que é isso que faço — livremente. E é por isso que ainda estou circundando a grande bola de fogo no céu. (é o Sol, cara!)."
E apesar de todas as complicações Amber tem uma grande fé em JC (Jesus Cristo), acreditando que ela e sua mãe vão encontrar um lugar melhor para morar e melhorar de vida,  que o diretor vai fazer mudanças necessárias na escola e que o seu professor preferido não vai ser demitido. E também é uma garota bastante otimista que acredita que coisas boas sempre acontecem para as pessoas que acreditam no bem, de tal modo que ela sente prazer de ajudar as pessoas ao seu redor como, por exemplo, ensinar inglês para algumas mulheres coreanas através de um grupo de coral conhecido como Divas Coreanas; visitar ao áxilo e divertir os idosos, além de ajudar ao seu professor preferido a manter o emprego dele.

Porém, o que Amber não podia prever era que sua vida iria mudar de maneira radicalmente do dia para a noite, e essa mudança que acontece deixa a adolescente de 17 anos praticamente desolada, uma vez que todo o seu mundo pareceu ruir e suas crenças começaram a se tornar um motivo de várias dúvidas e questionamentos que nem mesmo o Padre Chee sabe lhe responder. E é nesse momento do livro que é apresentado para o leitor uma fase mais sombria no mundo de Amber, que parece ser outra garota completamente diferente da garota extremamente otimista de alguns meses atrás.  
"A folha que cai. Voa como um jovem Ícaro. Depois se desfaz."
Para conseguir dar a volta por cima dessa nova fase que se instalou em sua vida a jovem vai precisar contar com a ajuda de seus amigos, além de que novas pessoas vão aparecer para ajudá-la apesar de sua teimosia inicial e do sentimento de negação que parece tomar conta dela. E é com a união dessas pessoas que Amber começa a perceber o quão ela é queria por todos, e que apesar de todos os males ocorridos em sua vida ela pode sim se considerar uma pessoa de sorte, no fim das contas.
“Devemos considerar perdido todo dia em que não dançamos pelo menos uma vez. E devemos chamar de mentira toda verdade que não for acompanhada por pelo menos um sorriso”.
O livro é envolvente desde a primeira página em que Amber começa contando algumas informações básicas sobre a sua vida, e o jeito da personagem é algo extremamente contagiante para o leitor, ainda mais o entusiasmo da mesma. Ao mesmo tempo em que a linguagem é simples também é rica em detalhes, combinando perfeitamente com o estilo de Amber, além de fluir de maneira muito rápida. "Quase Uma Rockstar" narra uma história muito envolvente e original, tanto é que o livro foi parar na minha lista dos favoritos e por isso recomendo a leitura para todas as pessoas. Os personagens (até mesmo os secundários) são bem desenvolvidos e encantadores, assim como a história como um todo.


4 Comentários

  1. A única coisa que eu li do Mattew é O Lado Bom da Vida e eu amei a escrita dele. Quero muito ler os dois outros dele lançados aqui, que é esse (que eu simplesmente fiquei apaixonada pela história, ainda mais com essa resenha!) e Perdão, Leonard Peacock (acho que é isso, haha). Enfim, amei mesmo a sua resenha, me deu mais vontade ainda de ler esse livro! :D

    Beijos,
    http://daniperere.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nossa, to curiosa! Nunca li nenhum livro do Mattew, só vi o filme "O Lado Bom da Vida", conta? Hahahahaha. Não consigo imaginar uma garota tão esperançosa quando se mora em um ônibus, gente, que história é essa? Sério, quero muito ler! Sua resenha <3

    Beijos, Li.
    eililian.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. nossa que legal voce me deu vontade de ler ele!
    Uma ótima semana e fique com deus!
    Viu moça tem post novo lá no blog se der da uma passada!!
    Blog: www.politicamenteincorreta.com
    Instagram:@blogpoliticamenteincorreta
    Fanpage: https://www.facebook.com/fazsuamoda

    ResponderExcluir
  4. Esse livro não chamou minha atenção, mas a cada resenha que leio me convenço de que devo dar uma chance. Gosto histórias cheias de drama, em que questões como a fé dos personagens é colocada a prova. Narrativas que falam sobre superação são sempre bem vindas. :)

    Resenha | Os homens que não amavam as mulheres
    Blog | Paixonites Literárias Xx

    ResponderExcluir