É um fato que eu sou uma pessoa tímida, fechada, que tem um pouco de dificuldade em fazer novas amizades ou até mesmo falar sobre os meus sentimentos. Sou o tipo de pessoa que guarda tudo para si mesma, e só depois de um tempo resolve confidenciar os segredos para alguns poucos amigos — ocasiões bem raras que acontecem de tempos em tempos. Um exemplo disso é que são muito os poucos os posts aqui no blog que eu esteja escrevendo algo relacionado aos meus sentimentos, acho que ao todo são apenas três ou quatro textos assim.


Contudo, ultimamente venho tentando reunir um bocado de coragem para escrever sobre um sentimento particular. Se falar pessoalmente sobre isso com os meus amigos já é um verdadeiro desafio, publicar um bocado do meu intimo na internet parece ser algo bastante intimidador para uma pessoa tímida como eu. Mas ao para analisar essa ideia percebi que boa parte das pessoas que acompanham o meu trabalho não me conhecem pessoalmente, e às vezes é mais fácil desabafar com um estranho do que com alguém que te conhece há anos. Um estranho não conhece a história de sua vida para julgar suas ações, e muitas vezes acabam dando concelhos bem mais eficientes do que uma pessoa que te conhece. E, além disso, outro motivo que me impulsionou a escrever esse texto é que eu sei que a pessoa nunca vai chegar a lê-lo. 

Finalmente eu me esqueci de você! Nossa história não foi muito longa e nem teve um final feliz, admito que às vezes me pegava pensando o que poderia ser da gente caso eu tivesse tomado outras ações, e não podia evitar de me sentir mal quando via você com outras garotas. Para mim o que tivemos juntos tinha um significado especial. Essa época para mim pode ser definida por uma única palavra: tortura. Era torturante ver você agindo como se não me conhece, como se seu tivesse sido apenas mais uma em sua longa lista. E durante muito tempo eu sofri calada, guardando a minha tristeza apenas para eu mesma e dizendo "Eu estou bem" quando os outros perguntavam como eu estava.  

Mas agora, tenho o prazer que eu me esqueci de você. Foi algo demorado, mas eu finalmente esqueci. Coloquei em minha mente que eu deveria ter mais amor próprio, deixar de sofrer par alguém que nem ligava para mim. E foi isso que eu fiz. Agora já não me importo com que você faz ou deixa de fazer, como você está ou com quem você anda. Tudo isso já não me importa mais. E essa sensação de ter te esquecido é muito boa, senti um enorme orgulho de mim mesma por ter te superado e a minha vida parece ter melhorado cada dia mais. Sinto como se tivesse tirado um enorme peso das minhas costas. Finalmente consegui me livrar de algo que não fazia bem para mim há tempos, finalmente arranquei você do meu coração e da minha mente. Sofrer por você isso nunca mais. Adeus. Goodbye. Adiós. Au Revoir. Auf Wiedersehen. Arrivederci. Que você se mantenha fora da minha vida eu estou bem melhor com você longe de mim, como algumas pessoas dizem "Antes só do que mal acompanhado".

Agora eu tenho novas metas e planos que não incluem você, nem mesmo nos meus pensamentos ou no meu subconsciente. Agora estou de olho em outro alguém. Alguém que acabou entrando na minha vida sem pedir permissão, e que há alguns dias vem tomando boa parte dos meus pensamentos e ideias. É simplesmente inevitável não deixar de pensar no que pode acontecer ou do que não vai, e mesmo sabendo que esse é um péssimo hábito uma vez que eu posso acabar me decepcionando caso algo não acabe saindo do modo que eu imaginava ou esperava. Às vezes a minha imaginação acaba sendo a minha pior inimiga.
Não sei ao certo o que eu vi nele, acho que acabou sendo um conjunto de coisas: o modo meio misterioso que ele parece ter, o olhar penetrante ou o perfume do qual eu tanto gosto. Sei que é meio patético me sentir desse jeito: sempre ficando nervosa quando ele está perto de mim, às vezes perco a fala quando estou perto dele e diversas vezes passo bons minutos formulando uma sentença em minha mente apenas para conseguir conversar com ele.

E no momento eu não me importo se essa relação continuar platônica, e não me importa o que vai ser do futuro. Ao assistir uma das minhas séries favoritas (Grey's Anatomy), eu aprendi uma grande lição que quero levar junto de mim ao longo da minha vida "Ser feliz hoje é mais importante do que ser feliz pra sempre." Não me importo se estou solteira, namorando ou ficando com alguém, eu apenas quero ser feliz, e não depender de homem para qualquer coisa na minha vida.

Não a nada melhor do que o amor próprio, e isso é um outro fato. 


Deixe um comentário