Moça, eu estou do seu lado.
Moça, eu compartilho da sua dor.
Moça, eu compartilho da sua tristeza.
Moça, eu compartilho da sua indignação.
Moça, eu compartilho do seu medo.

Moça, eu não te conheço e só fui ouvir falar sobre você através do caso que se espalhou pelas redes sociais — e que situação triste, não é mesmo? Tão triste que mal consegui dormir ontem à noite pensando nisso, e até agora continuo pensando completamente indignada com o que aconteceu. Você teve o seu corpo violado, sua imagem compartilhada por alguns desumanos — não tem como chamar de humano alguém que faz esse tipo de coisa ou que apoia.

Tenho algumas palavras para definir o que fizeram com você:
Uma violação.
Uma injustiça.
Uma barbaridade.
Uma crueldade. 
Um ato desumano.

Mesmo nunca tendo passado por uma situação dessas eu compartilho da dor que você deve estar sentido agora, compartilho do medo que você deve ter sentido. O medo é o meu companheiro diário nessa sociedade machista em que vivemos. Tenho medo de andar sozinha na rua à noite. Tenho medo de pegar táxi sozinha durante a madrugada. Prefiro sair de casa sozinha usando calças ao invés de um short ou uma saia, tudo isso para evitar assedio na rua, mas de nada isso adianta.

Eu não deveria sentir medo. Deveria poder andar sozinha e com a roupa que eu quero na rua a qualquer horário do dia, mas vivo em uma sociedade machista. Uma sociedade onde 30 homens estupram uma garota de 17 anos e nenhum tenta impedir isso. Uma sociedade em que o novo Ministro da Educação recebeu Alexandre Frota, que confessou um estupro em TV aberta, em 2014. Uma sociedade que tem um projeto de lei correndo no Congresso, que proíbe o aborto vai ser proibido até mesmo nos casos onde ocorreram estupros. Uma sociedade em que a mídia tenta minimizar o que aconteceu ao dizer "suspeita de sofrer abuso coletivo".

Depois disso tudo, alguns ainda têm a coragem de dizer que o feminismo é desnecessário, que é tudo "mimimi".

Moça, eu estou do seu lado e de muitas outras mulheres que já sofreram o mesmo.


2 Comentários

  1. Oi! Nossa, fiquei super chocada com essa notícia também.
    Ser mulher não deveria ser tão difícil. Ainda conseguiremos o respeito que tanto clamamos. Como foi com ela, poderia ter sido com qualquer outra mulher, é isso que mais chama a atenção. Não tem desculpa, a culpa não é da vítima. A sociedade que é podre.

    Ótima reflexão!!

    Beijos, Thay.
    http://www.leitoranamoda.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse acontecimento chocou muitas pessoas pelo tamanho da brutalidade, foi uma coisa horrenda! Mas acho que não só devemos ficar chocados com o que aconteceu com essa garota, mas sim com o que acontece com muitas mulheres. E o pior de tudo é ver que tem gente que apoia, que coloca a culpa na vítima por ela usar tal roupa ou frequentar tal lugar e que ainda justifica falando que estupro é uma doença.
      De fato, vivemos em uma sociedade podre. Podre e machista.

      Fico feliz que tenha gostado dessa reflexão, foi o mínimo que consegui fazer ao saber desse caso. Não consegui ficar calada sem fazer nada.

      Obrigada por visitar o blog, volte sempre.
      Bjs!!

      Excluir